O desconto do plano APROVADO EM 2021 termina em: dias horas minutos segundos

Banalização de cirurgias plásticas nas redes sociais

  No Brasil contemporâneo, observa-se um aumento das discussões, principalmente na mídia e nas redes sociais, a respeito da banalização de cirurgias plásticas nas redes sociais. Isso se deve, sobretudo, ao aumento do número de pessoas que estaõ se submetendo a esse procedimento e o aumento da procura desses procedimentos por pessoas mais novas. Desse modo, fatos devem ser analisados e medidas precisam ser tomadas, a fim de amenizar esse problema.
 Com o crescimento das midias sociais ouve uma maior pressão estética para que as pessoas estejam dentro do padrão,isto é , com ferramentas de edição cada vez mais avançadas foi criado um padrão irreal e isso consequentimente repercutiu em cada vez mais pessoas desejando estar nesse padrão,e atravéz das cirurgias plasticas isso acabou sendo uma realidade possível.Segundo o levantamento divulgado pela Sociedade internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS, na sigla em inglês) o Brasil esta em primeiro lugar no pais que mais realiza cirurgias para fins esteticos ,além de realizar cerca de 969 mil procedimentos estéticos não cirúrgicos.Isso demonstra que a preocupação com a estetica do povo brasileiro tem se tornado quase obessesiva , isso se deve a preocupação constante que muitas pessoas têm em aparentar seu melhor nas redes sociais. Atualmente há um enorme número de blogueiras que fazem esses procedimentos e recomendam a suas seguidoras, atravez de stories ou postagens , fazendo com que haja uma banalização encima desse assunto e ele seja tratado de maneira igualmente rotineira quanto uma ida ao dentista.Isso também é problematico pois diariamente milhares de jovens são influenciadas por essas blogueiras e consequentemente é implantado nelas a cobiça pela perfeição, o que pode acarretar em futuros disturbios psicologicos para as mesmas.
De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), nos últimos dez anos houve um aumento de 141% nos procedimentos em jovens de 13 a 18 anos e isso é extremamente problematico pois jovens, principalmente meninas, estão se submetendo a essas cirurgias cada vez mais cedo. A idade mínima para utilizar as redes sociais ,como o instagram por exemplo, é de 13 anos.Com treze anos crianças já começam a ver e a consumir o contéudo de influenciadores digitais e a querer copiar seus estilos, gostos e principalmente desejando se parecer com seus ídolos, muitos deles fazem procedimentos como lipospiração, harmonização facial , rinoplastia e mostram a seus seguidores clínicas, preços e todas as informações para que eles possam se sentir avontade para fazer também, isso ocorre porque com o crescimento do público de muitas influenciadoras, muitas clínicas de estética utilizam das mesmas como meio de chegar a jovens que estão insatisfeitos com sua aparência, alguns por sofrer bullying na escola pela sua fisionomia e outros que apenas querem se sentir melhor com seus corpos, assim começam a idealizar fazer procedimentos e cirurgias para se sentirem aceitas e melhorarem sua autoestima.Isso é um problema porque elas não pensam nos riscos reais de fazer esses procedimentos tão cedo, nem com o impacto psicológico que isso vai causar pois quanto mais inseguro ele for, mais procedimentos ele vai precisar criando assim uma dependência.Também é necessário pensar na condição financeira da familía pois muitas vezes esses jovens não têm condições de pagar altos valores e acabam se submetendo a clínicas duvidosas e ocorrem casos como o da Edisa de Jesus Soloni de 20 anos que morreu por necligencia da clínica onde estava.
Portanto, diante dos aspectos conflitantes relativos a banalização de cirurgias plásticas nas redes sociais, é indiscutível a realização de ações interventivas. Para tanto, cabe aos administradores das grandes redes sociais fiscalizar e exigir de seus influenciadores maior responsabilidade com o conteúdo postado visto que ele pode e vai ser exposto a jovens menores de idade que são altamente influenciaveis, isso deve ser feito por meio de novas regras e diretrizes que obriguem os influenciadores a informar quando utilizarem de ferramentas de edição nas fotos , e também cabe cobrar aos mesmos começarem a tratar do assunto de maneira mais séria tendo em vista os riscos que isso pode ocasionar na vida de seus seguidores, trazendo junto á suas postagens avisos dos possiveis riscosque podem ocorrer ao se submeterem a estas cirurgias.São necessarias essas ações a fim de os úsuarios saibam que o padrão que eles vêem nas redes é irreal e diminuam o julgamento sobre seus corpos,e percebam também a gravidade do procedimento que estão se submetendo antes de almejalos

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!