O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Assédio por intrusão (stalking)

 No seriado espanhol “Control Z”, a personagem “Isabela” sofre com intrusões constantes de suas redes sociais, o que acarreta, com o passar do tempo, em uma grave crise de pânico na adolescente, a qual se isola da sociedade por conta do ocorrido. Fora da ficção, esta é a realidade de muitos indivíduos que estão à mercê da elevada exposição pública de suas próprias vidas. Neste âmbito, o acesso facilitado as redes sociais e a falta de proteção individual contra possíveis exposições são os principais motivos para o “stalking” se propagar, rapidamente, na internet.


 De maneira inicial, é possível verificar que o número de usuários cadastrados nas redes sociais aumenta, de maneira exponencial, a cada momento. Segundo um levantamento realizado pelo noticiário “BBC English”, a elevada taxa de indivíduos conectados na internet contribui, intensamente, para a ocorrência do “stalking” nas mídias sociais, além do mais, o noticiário afirma que os casos de intrusão digital aumentam, desde 2010, devido a facilidade do acesso às redes sociais. Logo, pode-se afirmar que a facilidade em acessar tais redes estimula a exposição indevida dos usuários.


 Em segundo plano, nota-se que uma grande parcela dos usuários que sofrem com o “stalking”  não possuem alguma defesa da própria plataforma para evitar tal situação. De acordo com o jornal “G1”, na maioria dos casos de “stalking”, as vítimas sequer notaram a invasão em seu perfil das redes, ou seja, não há qualquer medida protecionista contra tais invasões, o qual propicia novas intrusões neste segmento, além disto, o mesmo jornal (G1) ressalva que as plataformas não cogitam a possibilidade de implantar um serviço “anti-stalking”. Logo, a falta de proteção individual nestas redes sociais é um fator que auxilia a ocorrência do “stalking”.


 Diante disso, é necessário combater, urgentemente, as intrusões digitais efetuadas por meio da internet. Portanto, cabe ao Ministério da Justiça e ao Ministério da Cidadania analisar e punir, por artifício de fiscalizadores da web e por profissionais da informática, possíveis indivíduos que realizam o “stalking”, tendo como objetivo encerrar com tal prática no Brasil. Além disso, é necessário conduzir parte da verba federal para a mídia televisiva a fim de estimular a criação, por parte das redes sociais, de uma medida protecionista contra o stalking a fim de proteger os usuários. Somente assim, casos como de “Isabela” serão evitados.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!