ENTRAR NA PLATAFORMA
Ansiedade e depressão em tempos de pandemia

  Em 1665, a Inglaterra vivia um momento complicado: a Grande Praga de Londres. Dado isso, Isaac Newton, por causa da doença, teve de ficar mais de um ano longe da universidade — período que, mais tarde, o faria elaborar a Teoria da Gravidade, quando a maçã caiu na cabeça do matemático. Contudo, infelizmente, na atualidade, o período de retenção não tem se mostrado benéfico para a população como foi para Isaac Newton, visto que, durante a pandemia do novo coronavírus, os casos de depressão e ansiedade quase dobraram. Dessarte, infere-se, indubitavelmente, que o aumento desses casos advém do sedentarismo aliado ao isolamento social, pelos quais são grandes provocadores de doenças mentais.



  Primeiramente, há se de caucionar que o retraimento social é um dos principais meios de contenção do avanço de doenças pandêmicas, porém, lamentavelmente, também é um dos responsáveis pelo aumento da insanidade. À vista disso, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), realizou um levantamento nas redes sociais, o qual mostrou que, durante a pandemia, os casos de depressão quase dobraram e os de ansiedade e estresse tiveram um aumento de 80%. Assim, depreende-se, de maneira clara, que, apesar de indispensável, o isolamento traz um enorme prejuízo para a saúde da sociedade, de modo que impede de as pessoas realizarem feitos extraordinários, como o de Newton.


 


  Outrossim, é possível frisar, também, que o sedentarismo, enquanto o isolamento, tem um papel fundamental no crescimento dos casos em meio à pandemia, por infelicidade. Sob tal ótica, é válido deduzir que os exercícios físicos, sobretudo, é um dos meios de combate ao sedentarismo, assim conforme disse o psiquiatra Marcelo Fleck: “É provável que o efeito do exercício se aproxime muito ao dos antidepressivos”. Logo, como a atividade física reduz o ensejo de obter insanidade, urge salientar que a falta dela (sedentarismo) incentiva o aparecimento das enfermidades mentais.


 


  Portanto, para que a problemática possa ser erradicada, é necessário a intervenção. Então, cabe ao Governo Federal dispor de assistência psicológica à população e, em especial, à parte mais pobre, a qual é a mais vulnerável. Assim sendo, deverá ser criado um número exclusivo para consulta telefônica, que será ministrada por intermédio de psicólogos capacitados, com o fito de trazer assistência mental à comunidade brasileira. Desse modo, através das consultas, a população receberá mais incentivo para praticar exercícios físicos, dado que isso é um método eficiente contra a depressão, como disse o renomado psiquiatra Fleck. Além disso, por consequência, felizmente, os números de depressão e a ansiedade irão diminuir, o que fará com que as pessoas possam, finalmente, adquirir conclusões incríveis, tal como a de Isaac.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde