ENTRAR NA PLATAFORMA
A submissão feminina na sociedade

A obra “Os Miseráveis”, de Victor Hugo, retrata a injustiça social da França do século XIX. Fora da ficção, no Brasil do século XXI, percebe-se um contexto semelhante ao da trama: a injustiça impera no que tange à submissão feminina na sociedade, criando, na realidade, um problema que carece de denúncia e intervenção. Nesse contexto, torna-se evidente como causas a sensação de superioridade do gênero masculino, bem como a lenta mudança na mentalidade social.  


Sob esse viés, pode-se apontar como um empecilho à consolidação de uma solução, a sensação de superioridade masculina. A Teoria da Eugenia, cunhada no século XIX – utilizada como base do Nazismo – defende o controle social por meio da seleção de aspectos considerados melhores. De acordo com essa perspectiva, portanto, haveria seres humanos superiores, a depender de suas características. No contexto brasileiro atual, a noção eugênica de superioridade pode ser percebida na questão da submissão feminina, cuja base é uma forte discriminação. 


Outrossim, a indolente transformação mental ainda é um grande impasse para a resolução da problemática. Conforme Durkheim, o fato social é a maneira coletiva de pensar. Sob essa lógica, nota-se que a questão da subalternidade feminina é fortemente influenciada pelo pensamento coletivo, uma vez que, se as pessoas crescem inseridas em um contexto social intolerante – opressor, injusto – tende a ser adotado também a esse comportamento.  


Por tudo isso, faz-se necessária uma intervenção pontual no problema. É necessário, portanto, que o Ministério da Cultura, em parceria com as mídias de grande acesso, promova uma rede de propagandas e campanhas sobre a submissão feminina na sociedade, a fim de destacar a importância da diversidade e divulgar canais de denúncia para casos de discriminação. Tais propagandas poderiam circular em paradas de ônibus das grandes cidades, assim como em canais de televisão, para atingir grande parte da população brasileira e romper com a mentalidade eugênica. 

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde