ENTRAR NA PLATAFORMA
A realidade da mortalidade infantil no Brasil
Família passando dificuldades financeiras e sobrevivendo cada dia em lugares precários. É assim na obra "Vidas secas", de Graciliano Ramos. Nos dias atuais, crianças são vítimas de situações análogas por não possuírem os recursos básicos à sobrevivência.
Em primeiro lugar, é preciso destacar os avanços tecnológicos brasileiros a partir de sua industrialização na década de 1930, como a instalação de empresas farmacêuticas. Entretanto, mesmo com tantas conquistas visando facilitar a vida humana ou acabar com a fome mundial, percebe-se desigualdades sociais persistentes. Nesse contexto, ressalta-se o acesso a alimentação ainda muito restrito e atendimentos médicos não disponíveis para todos. Com isso, quando misturado nos reagentes baixa imunidade com má alimentação, o produto desse processo tende ser a morte principalmente de crianças, pois biologicamente são quem possuem os corpos mais vulneráveis.
Dessa forma, nota-se o incremento dos casos de mortalidade infantil no país e os direitos sociais não sendo alcançados em todas as comunidades. Ademais, também colaboram com essa realidade a falta de saneamento básico em muitas localidades, gerando muitas vezes a proliferação de mosquitos responsáveis pelas epidemias. Segundo o princípio Aristotélico, "É preciso tratar os iguais igualmente e os desiguais desigualmente, na medida de sua desigualdade." Sob este ângulo, enquanto o Governo não conseguir conceber a equidade aos cidadãos e às futuras gerações, o estabelecimento do sistema democrático não será realmente alcançado pelos indivíduos.
Torna-se, portanto, fundamental que o Estado -em parceria com o Ministério da Saúde- invistam mais em hospitais públicos, principalmente aqueles que contenham grandes números de mães e filhos nas maternidades. Assim, os mesmos poderão disponibilizar aos pacientes remédios, vacinas e equipamentos cirúrgicos necessários para uma boa saúde de um recém nascido. Todavia, o Governo Federal também deve realizar a manutenção das ruas que estiverem com canos de água defeituosos. Desse modo, será possível permitir acesso aos atendimentos médicos e saneamentos de qualidade.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde