ENTRAR NA PLATAFORMA
A inclusão de transgêneros no meio acadêmico
A Carta Magna do Brasil assegura aos cidadãos o direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à educação. Todavia, tais benefícios, em especial o educacional, não são iguais para todos, a exemplo do atual quadro dos transgêneros no país, o que corrompe a harmonia social. Nesse sentido, é valido ressaltar que medidas rápidas e eficientes devem ser colocadas em prática.
De acordo com a Agência Brasil, cerca de 3 000 000 de jovens abandonam a escola todos os anos. Esse dado relevante, portanto, inclui grande parcela dos indivíduos transgêneros, que sofrem constantemente com atitudes ilícitas no ambiente escolar. Agressões verbais, como a imposição dos seguintes apelidos: "bixa" e "viadinho", e físicas são exemplos dessa cruel realidade. Assim, muitos desistem dos estudos. Nesse contexto, o processo de inclusão do transgênero no meio acadêmico torna-se comprometido e é agravado pela intolerância e preconceito de parte dos próprios profissionais da educação. Dessa forma, o futuro das vítimas é vulnerável, visto a rigorosidade de conseguir emprego no Brasil hodierno. Afinal, segundo Immanuel Kant, o homem não é nada além daquilo que a educação faz dele.
Outrossim, devido à dificuldade de inclusão das pessoas transgêneras em escolas e universidades, consequências negativas são ocasionadas. Segundo a ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transexuais) apenas cerca de 10% desse público não vive da prostituição. Desse modo, aumenta-se o número de mortes de tais cidadãos, seja por contraírem doenças sexualmente transmissíveis, seja por homicídio praticado por indivíduos mal intencionados no momento do ato sexual. A exemplo, pode-se mencionar o caso da transexual que foi morta a pauladas em um hotel em São Paulo. Essas causas acontecem, primordialmente, pela ausência de empregos proporcionada pela não conclusão dos estudos. Sendo assim, cria-se um ciclo que necessita ser combatido.
Por conseguinte, é indubitável dizer que a dificuldade de integração dos transgêneros no meio acadêmico é uma mazela presente no Brasil em pleno século XXI. Nessa percepção, o Ministério da Educação, em parceria com o governo municipal, deve criar projetos que garantam o direito de tal público, como encontros mensais das turmas com psicólogos para debater sobre o tema e diminuir eventuais conflitos, com o objetivo que acabar com a evasão escolar proporcionada por essa causa. Ademais, é essencial que o Ministério do Trabalho adote uma base de apoio para esses cidadãos, como a criação de empregos na mídia a fim de os tirarem de situações vulneráveis e garantir os direitos básicos.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde