ENTRAR NA PLATAFORMA
A dificuldade de lidar com a morte

    No episódio 3 da saga "Star Wars", Anakin Skywalker volta ao seu antigo planeta para salvar a mãe da escravidão, que morre em seus braços. Com isso, ele convive com sentimentos de luto e frustração, cotidianamente, que são causas para a grande mudança do personagem na história, o transformando no maior vilão que já existiu, Darth Vader. Fora da ficção, o luto é pouco discutido nas sociedades hodiernas e, principalmente, pouco aceito, gerando, assim, sentimentos negativos que podem, com o tempo, causar transtornos psicológicos à pessoa. É coerente afirmar, dessa forma, que, diante do exposto, é necessário um amplo debate sobre o tema, tendo em vista que a negação, por parte dos familiares, tem o tornado pior, e que o assunto tem gerado muitos problemas mentais à população.


    Em primeira análise, em um dos episódios de "Black Mirror" a personagem tem dificuldades ao lidar com a morte do seu cônjuge; para isso, ela compra um robô realista, idêntico ao ex-parceiro. É evidente que, no episódio, a mulher está na fase de negação, assim como trabalhado na psicologia, que é o primeiro estágio do luto e é quando a pessoa não acredita, acha que pode estar havendo enganos. Embora esse quadro seja normal e cada indivíduo reaja de uma forma, torna-se extremamente preocupante quando a pessoa permanece assim por um longo período. O luto é um processo normal que se inicia com uma perda e que segue até sua elaboração, quando o indivíduo volta, novamente, ao mundo externo, não sendo considerado patológico. Contudo, a permanência nele pode mudar esse cenário e o transformar em um perigo à pessoa, que pode desenvolver quadros de ansiedade e pânico, por exemplo, assim como a personagem do episódio.


    Outrossim, a morte sempre foi encarada de maneiras distintas durante a história e pelas diferentes culturas. No Egito Antigo, por exemplo, a mumificação era algo comum, pois eles acreditavam que a pessoa podia voltar e precisaria do seu corpo intacto; já no cenário atual, enquanto a maioria dos povos ocidentais consideram a morte como algo triste, a população mexicana a comemora com festas e um feriado típico, o Dia dos Mortos. Ademais, a segunda fase do Romantismo representou a idealização da morte, quando os autores a retratavam como uma forma de fugir do mundo de frustrações. Ao passo que o mundo foi se desenvolvendo, as concepções foram mudando; assim, no Brasil, a forma romântica de encarar o tema mudou e a maneira de encarar o luto também, visto que, hoje em dia, outra consequência muito grave do luto é a depressão. Essa consequência é explicada no livro "Por lugares incríveis", no qual a personagem quer se suicidar por não lidar bem com a morte de sua irmã. Essa história retrata a vida de muitas pessoas que, sem apoio familiar e ajuda psicológica, entra em quadros generalizados de depressão e encontra no suicídio uma forma de escapismo.


    Diante disso, urge que medidas rápidas sejam tomadas pelos órgãos públicos. É mister que o Governo Federal, na figura do Ministério da Saúde, portanto, tome uma postura significativa no tema, incentivando a procura de ajuda pela população e facilitando tal ato, por meio campanhas midiáticas que falem sobre o assunto e disponibilizando verbas governamentais para a inserção de profissionais especializados no tema, como psicólogos e psiquiatras, em postos de saúde e hospitais públicos, para as camadas de baixa renda. Para que assim, toda a população, em especial a parte que não tem recursos para pagar por meios próprios, tenha acesso aos profissionais adequados e consigam enfrentar adequadamente o tema, pois, somente assim, haverá uma sociedade livre da "doença do século" e daquela representada pelo livro.


   

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde