ENTRAR NA PLATAFORMA
A dificuldade de lidar com a morte

O filme Reine Sobre Mim traz a dificuldade em aceitar o luto. A obra cinematográfica aborda a morte da mulher e dos filhos de Charlie e, consequentemente o faz querer romper com o passado e criar em torno de si um “outro mundo” como se fosse uma máscara para esconder a sua frustação e solidão. Paralelo a isso, na realidade, o fenômeno acontece da dificuldade em aceitar o luto e tem consequências tão devastadoras quanto o filme. A princípio, tal narrativa tinha como objetivo mostrar um pouco das pessoas que enfrentam esse cenário. Contudo, o luto é um sentimento de tristeza que é provocado pela perda de alguém ou algo precioso e amado. Logo, deve-se observar o estado depressivo, quando a morte desencadeia uma avalanche de sentimentos ruins e a ansiedade, já que o corpo fica sob estresse. Dessa maneira, em razão da ansiedade e dos comportamentos depressivos, não há como evitar o processo de luto, a reação varia em cada indivíduo.  
Em primeira análise, segundo o livro “Ansiedade, como enfrentar o mal do século” o psiquiatra Augusto Cury aborda um relato de uma jovem que narrou a história da vida dela em que a mãe tinha se suicidado. Para ela, o mundo tinha acabado, ela ficou abatida, depressiva. Nesse contexto, consoante ao que foi relatado, Augusto Cury explica para a jovem que a mãe dela foi vítima da Síndrome do Circuito Fechado da Memória, ela entrara em várias janelas tensionais que bloquearam o acesso a outras janelas, o que levou o seu Eu reagir por instinto. Nesse embate, isso pode ser observado em pessoas depressivas quando não conseguem amenizar os conflitos internos, seja por causa de uma família conturbada ou outros fatores. Nessa análise, cada cidadão é afetado de forma diferente e, infelizmente, na maioria dos casos, resulta em suicídio.  
Acrescente-se à questão analisada, é necessário que as pessoas com esses distúrbios psicológicos façam tratamentos para evitar a depressão e outras doenças ligadas a ela, como: a ansiedade. Nesse contexto, a família e amigos são fatores importantes e positivos na maneira de lidar com esse processo. Frente a essa problemática, de acordo com Benjamim Franklin, a paz e a harmonia é a verdadeira riqueza de uma família. Entretanto, mesmo que haja dificuldade em lidar com a morte de um ente amado, ter cuidados especiais consigo é essencial para que possa melhorar seus sentimentos e entender cada situação, também é crucial para que seja evitado esse cenário. Em contrapartida, muitos não buscam cuidar de si mesmo e procurar medidas eficazes para esses sentimentos angustiantes, assim, se prejudicam. Por conseguinte, é significativo melhorar esses atos.  
Portanto, faz-se necessário ao Ministério da Saúde possibilitar, para essas pessoas, acompanhamento com psicólogos e psiquiatras, visto que essas doenças relacionadas a dificuldade de lidar com a perda, como já foi dito, a depressão e a ansiedade, sejam muito perigosas, é relevante que os indivíduos que sofrem desse distúrbio, façam tratamentos e terapias para que o desgaste emocional seja evitado em ambos. Some-se a isso, cabe a todas as famílias e amigos respeitarem o período de luto e acolherem o indivíduo, uma vez que, cada pessoa tem um tempo pra vivenciar a perda e, também buscar forças e aspectos positivos, como malhar, sair com os amigos, manter atividades diárias e buscar ocupar o pensamento com coisas boas, para que não seja um processo cansativo. Dessa maneira, tais intenções mostram-se admiráveis para a construção de uma sociedade mais harmônica e justa.  

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde