O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

A crescente descrença no pensamento científico no Brasil

Professores universitários brasileiros, como Maria Homem, Leandro Karnal e Pedro Calabrez, estão construindo uma ponte muito necessária de comunicação entre a Ciência e a população, por meio das suas redes sociais. Isso torna-se premente em um país que desvaloriza o ambiente acadêmico, causando, assim, uma crescente descrença no pensamento científico contemporâneo. Com efeito, os brasileiros ficaram mais expostos ao consumo da anticiência, proporcionado pela Internet, no qual, se não obterem uma criticidade ao receberem certos conteúdos, podem ser afetados, diretamente, pela postura que vai contra os direitos que foram conquistados pela Ciência.
Deve-se destacar, a princípio, que a desvalorização do Estado com o ambiente acadêmico brasileiro contribui para a descrença da população no pensamento científico. A esse respeito, cabe citar o descaso do país com as Universidades Públicas, as quais são as principais fontes de produção científica no Brasil. Um exemplo, é a unidade da Unesp - Universidade Estadual Paulista - em Ourinhos, interior de São Paulo, a qual sofre, constantemente, com cortes de bolsas, fazendo, muitas vezes, com que alunos, nos quais já tinham iniciado suas pesquisas acadêmicas, abandonem o curso pela dificuldade em se manter. Isso, certamente, demonstra que a desvalorização com o trabalho científico dificulta que a população de baixa renda, na qual é a maioria no país, tenha contato com o pensamento científico e desmotiva quem enfrenta esse ambiente de pesquisa.
Em segunda análise, vale enfatizar a exposição dos brasileiros ao consumo da anticiência, no qual pode fazer com que questionem seus direitos, os quais foram conquistados pelo avanço científico. Nesse contexto, é nítido o quanto o ambiente virtual recrudesceu a propagação desses discursos, como notícias falsas sobre a vacinação que iniciou um movimento antivacina no país. Por esse motivo que, ideias como a do filósofo Jurgen Habermas são importantes nessa situação, pois ele enfatizou que uma sociedade depende da sua própria capacidade de criticar, coletivamente, seus comportamentos, como forma de mudar cenários. Assim, somente com a iniciativa do Estado sobre essa realidade, na qual promova uma discussão sobre o assunto, que esse quadro anticiência pode ser revertido.
Diante disso, depreende-se que a crescente descrença no pensamento científico no Brasil é consequência de um contexto que possibilita essa ideia. Portanto, urge que a Secretaria dos Direitos Humanos promova lives em todas as suas redes sociais para a mudança desse cenário, por meio de diversos cientistas que sejam de muitas áreas profissionais e demonstrem o quanto suas pesquisas ajudou no desenvolvimento do país, com intuito de mostrar para a população os efeitos da Ciência e, assim, iniciar uma reflexão coletiva. Dessa forma, aos poucos, a ponte de comunicação entre o pensamento científico e a sociedade estará, finalmente, concluída.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!