O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

A crescente descrença no pensamento científico no Brasil

          Para Descartes, o método científico deveria ser aplicado em prol do desenvolvimento humano. Tal método é usado atualmente para a comprovação de pesquisas na ciência, seguindo etapas que comprovem a sua veracidade. Entretanto, apesar de diversos ramos da ciência serem comprovados cientificamente utilizando essas regras, há questionamentos por certo percentual de brasileiros quanto à sua genuinidade.
          Primeiramente, é notável o surgimento de ideias que contradizem o que já foi imposto pela ciência há anos, como o terraplanismo. Segundo a Univerdade de tecnologia do Texas, nos Estados Unidos, a maioria dos terraplanistas se informam pelo YouTube, uma fonte não confiável, pois, os vídeos são divulgados pelos usuários na rede social e não são verificados pela central, para comprovar que tudo o que está inserido na mídia, é verdadeiro. Se a maioria dos terraplanistas se informam pelo YouTube, verificamos que eles não constroem suas teorias por base de fontes confiáveis e refutam teorias que foram analisadas, estudadas e experiementadas.
           Após 26 anos de estudo sobre o comportamento de corpos ao redor do buraco negro, astrônomos de diversas partes do mundo conseguiram comprovar a teoria da relatividade geral proposta por Albert Einstein, em 1915, alcançando a primeira foto de um buraco negro, algo revolucionário para a ciência. Colocando em paralelo o método de estudo científico e o método de estudo do terraplanismo, conclui-se que o nível de pesquisas e aprofundamento dos terraplanistas é menor, resultando em teorias defasadas e sem provas concretas. Enquanto a ciência avança de tal modo, registrando corpos em outras galáxias, como a foto do buraco negro em M87. Há retrocesso em conceitos já formados e comprovados por cientistas, legado que foi deixado por vários nomes importantíssimos na história da ciência, há vários anos.
         Portanto, para resolver esse empasse, é preciso que o MEC invista mais na educação, reformando a BNCC - Base Nacional Curricular Comum - das escolas de rede pública, colocando como obrigatoriedade e prioridade, uma grade que contempla todas as matérias necessárias para a formação do aluno, inclusive conteúdos com matérias práticas de experimentação e método científico, em todos os períodos, fundamental I e II e ensino médio. Assim, o aluno não terá o ensino defasado quando se formar e irá aprender melhor sobre as áreas do conhecimento, principalmente a ciência, conhecendo melhor o seus métodos de comprovação de pesquisas.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!