O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

A crescente descrença no pensamento científico no Brasil

É notável que o avanço da tecnologia tem feito do acesso à informação algo cada vez mais dinâmico. Enquanto por um lado isso acarreta em benefícios óbvios para a sociedade, por outro não é bem assim que está funcionando: a facilidade de proliferação de ideias, através de recursos tecnológicos, tem contribuído com a disseminação de desinformação no Brasil. De forma surpreendente, e um tanto contraditória, a "vítima" da vez é a própria responsável pelos avanços: a ciência.


Em primeiro plano, é importante sedimentar a ideia de que o pensamento científico revolucionou o mundo em vários segmentos. O avanço da medicina propiciou o tratamento e controle, através de medicamentos e vacinas, de muitas enfermidades que, em outros momentos da história, costumavam trazer consigo a morte. Outrossim, avanços em outras áreas da ciência, como a física e a química, possibilitaram uma maior compreensão do univeso.


Tendo todos esses pontos bem evidenciados, cabe agora exemplificar casos de negação à ciência, e entender as consequências que podem trazer. Um caso recente de proporção considerável, é a vertente de campanhas antivacinas: muitos pais têm sido instruídos a não vacinar suas crianças, sob alegação de que vacinas trazem problemas à saúde; quando na verdade o objetivo da vacinação é justamente o oposto. Outro movimento que tem ganhado grande popularidade é o terraplanismo: os adeptos acreditam que o formato da Terra é plano, como o nome sugere. O que pode parecer uma ideia sem grandes ameaças, na verdade carrega consigo a possível quebra do legado de cientistas como Copérnico, que desafiou a autonomia da Igreja Católica quando questionou o geocentrismo. Não surpreendentemente, o movimento terraplanista tem forte embasamento religioso.


Portanto, medidas são necessárias para combater o impasse. Medidas essas que devem estar intrinsecamente ligadas à educação. O governo, através dos orgãos responsáveis, deve investir em campanhas de divulgação científica para a população, principalmente em escolas; que devem ser locais de predomínio do ensino científico. Ademais, também é importante que se evite a influência religiosa nas instituições de ensino, pois a história mostra que a religião utilizada dessa forma não costuma trazer bons frutos. No que oncerne a isso, é conveniente citar o filósofo Immanuel Kant: "O ser humano é aquilo que a educação faz dele".

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!