O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

A autonomia da mulher brasileira nos casos de interrupção da gestação

A colônia do Brasil era, pela influência de Portugal uma nação essencialmente católica, tendo o aborto como uma das práticas consideradas crime. Tal opinião aida viva na população dos dias de hoje ,mostra a importância do esclarecimento sobre o tema na atualidade.


O aborto clandestino, é a segunda maior causa de morte materna. No Brasil, esse número cresce principalmente nas áreas mais pobres do território nacional. A lei civil, considera a existência de uma pessoas desde a sua concepção, embora seja verídica tal expresso na lei, algumas questões sociais influenciam algumas mulheres a se comtraporem tal dispositivo.


Os direitos das mulheres entarm na pauta do executivo e do legislativo. Alguns deputados, percebendo o desespero dessas mulheres ao se verem gestantes e sem condições sociais e psicológicas de manterem uma gravidez, buscam através de alguns projetos de lei, permitir a autonomia feminina na questão de sua gravidez, defendendo a discriminação do aborto, como apresenta o " Projeto de lei 1135/91"


Dado o exposto, é possível observar que o aborto é questão de saúde pública. Assim, é necessário maiores investimentos em campanhas nas quais abordem as consequências físicas e psicológicas causada em consequência ao ato clandestino. Cabendo ao estado uma mensagem mais transparentes sobre o tema, através de propagandas publicitárias e palestras publicas, oferecidas pelo SUS, além de maior inclusão das mulheres em planejamentos familiares, no intuito de amenizar que tais escolhas como a autonomia de interromper suas gestações, não sejam mais necessárias.



Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!