Correção Online de Redações

Olá, aluno!


A partir de agora, você perceberá que as correções estão um pouco diferentes. Estamos implementando um novo sistema de correção, para deixar dicas cada vez mais detalhadas, ajudando você a conquistar a nota máxima em sua redação! Portanto, agora você receberá comentários detalhados para cada uma das competências (caso sua redação seja modelo Enem), além do bom e velho “comentário geral”, deixado pelo seu corretor. Além disso, você verá que as marcações no corpo do seu texto também foram adaptadas. Como esta é a primeira versão deste sistema, pode haver algum problema na visualização das correções (esperamos que não). Caso isso ocorra, pedimos que encaminhe e-mail para contato@redacaonline.com.br informando o que ocorreu.


Agradecemos a sua compreensão. Abraço e bons estudos!

ATENÇÃO!

Passe o mouse em cima dos balões vermelhos contidos em cima da redação, para ver seus erros. No final da página veja sua nota e os comentários gerais da correção!

Corrigida por: Corretora Juliane

Tipo de redação: Vestibular

DADOS da fonte DATASENADO revelam que no ano de 2013, 30% das mulheres que sofrem abuso de seu parceiro não confiam nas medidas de proteção contra agressão. Embora seja minimizado, o problema do relacionamento abusivo continua presente, visto que parte das mulheres, principalmente jovens, ainda sofrem o abuso. Nesse sentido, em razão da má influência midiática atrelada ao silenciamento, emerge um problema complexo que precisa ser revertido.

PRIMEIRAMENTE é preciso salientar que a negligência da mídia é uma causa latente do problema. Nessa perspectiva, em 2013, ocorreu o caso ELOÁ – jovem de 15 anos que foi sequestrada pelo ex-namorado – o qual tinha o objetivo de reatar o relacionamento. O caso aconteceu na cidade de SÃO PAULO e toda a mídia se comoveu em retratar a figura do sequestrador com muitas qualidades. Nesse contexto, esse foi o poder da mídia com base nas informações sobre o sequestrador, enquanto ELOÁ foi mantida em cárcere e abusada até a sua morte. Sob esse viés, se percebe uma forte presença da mídia nessa questão, pois na reportagem a vítima pareceu ser culpada.

EM segundo plano, outra causa para a configuração do problema é a falta de debate. Segundo HABERMAS, a linguagem é uma verdadeira forma de ação. Sob essa lógica, verifica-se uma lacuna em torno dos debates sobre a violência através do relacionamento, o qual contribui com aumento da falta de informação das pessoas que são abusadas sobre a questão, tornando sua resolução mais dificultada, pois algumas delas não confiam plenamente nas leis contra violência e por isso optam por não procurar ajuda.

PORTANTO, medidas são necessárias para combater esse empasse. Desse modo, é perceptível que muitos relacionamentos abusivos se mantêm presente na sociedade contemporânea. Então, a mídia está relacionada com esses casos, como aconteceu com ELOÁ. Diante disso, esse foi um de vários casos minimizados pela mídia, em que a vítima foi executada brutalmente e muito pouco foi feito.

😊

Comentário geral

Oi, tudo bem?A referência usada no argumento 1 é muito interessante, mas a discussão precisa ser expandida. O seu parágrafo ficou exclusivamente voltado ao caso Eloá, enquanto o correto é usar o fato para tornar a discussão mais ampla e menos pessoalizada.Na conclusão, ao fazer uma síntese, resuma os dois argumentos. Note que você não retomou o argumento 2.Sucesso!

Nota Final

8

©2021. Redação Online. Todos os direitos reservados.