O que é uma redação dissertativa-argumentativa?

O gênero textual cobrado no Enem é o texto dissertativo-argumentativo. Ele possui características próprias e serve para que o autor consiga demonstrar suas ideias a respeito de algum assunto. Geralmente, os temas do Exame Nacional abordam problemas sociais, ambientais, educacionais, entre outros, que afetam a realidade do Brasil. O objetivo é que o participante reflita e defenda o seu ponto de vista (tese de redação) com uma boa argumentação. Além disso, ele precisa propor soluções para a questão tratada no texto.

Estrutura do texto dissertativo-argumentativo

Todo gênero textual possui características mais ou menos estáveis que nos permitem identificá-los. Assim diferenciamos um bilhete de uma carta, uma crônica de um conto, um artigo de opinião de um editorial. Conheça agora, neste guia de redação Enem, o que um texto dissertativo-argumentativo precisa necessariamente apresentar para o identificarmos como tal.

Visualmente, um texto dissertativo-argumentativo precisa estar bem organizado em parágrafos. Cada um deles compõe uma parte da redação. De modo geral, para 30 linhas de texto, teremos 4 parágrafos, divididos em introdução, desenvolvimento e conclusão. Assim, tenha em mente que você precisará desenvolver ideias que façam sentido do começo ao fim, conectadas adequadamente e coerentemente. Veja como será cada seção da sua redação:

A introduçãodeve apresentar o tema de forma clara, colocando assim o leitor a par do assunto tratado. Para isso, o autor do texto pode usar algum exemplo ou mesmo fazer uma alusão histórica. Além disso, faz-se a apresentação da tese da redação, ou seja, o ponto de vista a ser defendido. Ele precisa estar claro ao leitor do texto desde o começo e deve ser mantido ao longo de todo ele. Então, o autor deve ter o cuidado de não fugir do assunto ou se contradizer durante a argumentação. A introdução ocupará de 4 a 5 linhas da folha de prova.

O desenvolvimento do texto geralmente ocupa dois parágrafos da redação. Como o próprio nome sugere, deve ser um desdobramento em defesa da tese com a apresentação de argumentos válidos. Portanto, espera-se que o autor de um texto dissertativo-argumentativo mostre fatos, dados, referências e exemplos a fim de justificar o que defende. Então, é fundamental que ele possua e saiba escolher um excelente repertório sociocultural para articular as ideias no texto.

O repertório sobre as diversas áreas do conhecimento é imprescindível para atingir notas mais altas na prova e, principalmente, para conseguir uma redação nota mil. Portanto, procure ampliá-lo com leituras diversificadas, ficando de olho, especialmente, em notícias sobre a atualidade. Como não há como prever qual tema cairá na prova, saiba um pouco sobre cada assunto. Atente-se aos principais acontecimentos que têm ocorrido e tenha um olhar crítico sobre os problemas que afetam a população em suas variadas camadas.

Na internet você encontrará uma série de sites ou perfis que oferecem redações prontas para copiar e, infelizmente, muitos estudantes caem na armadilha da redação fácil e sem esforço que gerará uma nota boa. Na avaliação do repertório, além de quantidade é preciso qualidade, uso produtivo, coerência com a temática e autoria. Isso significa, então, que redações-modelo vão na contramão de tudo isso. Você até pode consultá-las para tentar entender a estrutura, mas evite usá-las, pois a facilidade pode sair muito caro! Exercitar o cérebro e treinar a escrita: essa é a única fórmula capaz de lhe trazer a tão aguardada redação Enem nota mil! Nesse sentido, uma boa ideia é você se inspirar em exemplos de redação nota mil disponíveis on-line.

Depois de fazer o desenvolvimento de um texto estratégico e bem fundamentado, chega a hora da conclusão. Ela deverá comprovar os argumentos e, no Enem, exige-se ainda uma proposta de intervenção. Então, o participante sugerirá mudanças ou pensará soluções às questões levantadas ao longo do texto. Entretanto, essa proposta não é tão simples. Ela precisa conter elementos obrigatórios, que são: agente, ação, modo/meio, efeito e detalhamento. Nunca ouviu falar sobre isso? Não se preocupe! Na sequência daremos todas as dicas para você construir uma proposta completa. :)

Como elaborar uma boa introdução?

A introdução dará o tom do texto e a primeira impressão ao seu leitor (no caso, o avaliador da prova). Portanto, ela deve interessar e chamar para a leitura atenta. Assim, vale a pena você separar algum tempo para pensar bem sobre qual caminho tomará para defender seu ponto de vista, separando quais repertórios podem ser usados já no começo da redação.

Há muitos modos de iniciar um texto. Algumas pessoas contextualizam o tema com algum exemplo histórico, usam analogias ou utilizam citações pertinente ao assunto tratado. Além disso, pode-se conceituar alguns termos para melhor informar sobre a discussão proposta. Um exemplo disso seria você explicar o que é o cinema e como ele surgiu para depois tratar da importância de ampliar o acesso a ele na sociedade brasileira.

Não se esqueça: o projeto de texto é fundamental. Isso significa que, na introdução, você já deve saber como terminará seu texto. Assim, faça um planejamento da escrita, um “esqueleto” mesmo, de como ficará cada parte do texto dissertativo-argumentativo. Coloque tudo que você quer comentar e usar, selecione e organize as ideias e, depois disso, faça um rascunho. Fique de olho no tempo!

E as competências II e V? Não são admitidos erros?

A resposta é não. Nesses dois casos, o texto precisa ser “perfeito”, ou seja, na competência II o participante precisa abordar completamente o tema, mostrar as três partes do texto, sendo que nenhuma delas pode ser embrionária (poucas linhas desenvolvidas). Além disso, o repertório deve ser legitimado e pertinente ao tema, com uso produtivo. Assim, deve haver informações relevantes para a defesa do ponto de vista, coerentes com o tema, funcionando para o convencimento do leitor sobre as ideias apresentadas.

Já na competência V, para conseguir os 200 pontos, é obrigatório que a proposta de intervenção apresente todos os elementos citados anteriormente: ação, agente, modo/meio, efeito e detalhamento. Portanto, é fundamental estudar e começar a entender como fazer bom uso das informações no texto e fazer propostas completas na conclusão para que a sua redação seja nota mil!

Como fazer um desenvolvimento matador?

Em dois parágrafos de mesma extensão – cerca de 5 a 7 linhas – você irá desenvolver a argumentação do seu texto. É hora de mostrar os argumentos selecionados para a defesa da tese apresentada na introdução. Idealmente, desenvolvem-se os fatos e opiniões em torno do argumento, aprofundando-o. O sucesso dependerá da habilidade em deixar as ideias coesas e coerentes e selecionar e organizar um excelente repertório pertinente ao tema.

Redações com nota mil mostram como a escolha do repertório sociocultural é fator determinante da nota. Esse quesito é avaliado na competência 2, que diz respeito ao atendimento do tema e do tipo textual. O repertório refere-se à correta aplicação dos conceitos das áreas do conhecimento para o desenvolvimento do tema. Assim, os argumentos precisam ser válidos e seu uso deve ser produtivo. Isso significa que a boa articulação do repertório com as ideias do autor convencerão o leitor sobre o ponto de vista defendido.

Para demonstrar uma argumentação consistente, o participante do Enem deve usar:

  • dados estatísticos do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), por exemplo, e de outras instituições de pesquisa. Assim, busque informações atualizadas sobre as áreas de saúde, educação, cultura, economia, lazer e indicadores sociais. Anote essas informações e consulte-as de vez em quando, em especial quando for escrever alguma redação para treinar. Dessa forma, você vai memorizando alguns dados que poderão ser relevantes na hora de escrever a redação “pra valer”. Os textos motivadores da prova quase sempre apresentam dados estatísticos sobre a proposta. Desde que não faça cópia, é possível usá-los para embasar a sua argumentação. Então, recorra a eles se você for pego de surpresa e não souber nada sobre o tema proposto!
  • citações: você sabe o que é uma citação? Trata-se da transcrição de parte de uma obra para reforçar uma ideia ou ilustrar um raciocínio. Elas são usadas nos trabalhos acadêmicos para fundamentar as hipóteses com base em estudiosos do assunto. Você deve conhecer algumas frases célebres dos principais pensadores, nacionais e internacionais, e relacioná-las coerentemente com as ideias que você quer desenvolver. Jamais use a citação “solta” no texto, porque ela sozinha não opera milagres. O uso produtivo depende da sua interpretação sobre o que foi por outra pessoa. Se ligue! Saiba como fazer isso lendo um modelo redação nota mil disponível na web.
  • referências históricas: estude a História do Brasil, do começo até a contemporaneidade. Saiba quais os principais acontecimentos nacionais que impactaram e ainda causam impacto na sociedade. Além disso, conheça os conflitos e preocupações internacionais e entenda como elas refletem nos acontecimentos mundiais, pois isso também pode ser um caminho para relacionar com fatos que acontecem aqui no nosso país.

Resumindo: para que seu texto se destaque, o desenvolvimento precisa ser informativo e crítico, com você demonstrando que conhece muito bem o assunto sobre o qual está escrevendo. Isso chama-se autoria e é o que faz brilhar os olhos dos avaliadores! Seja original!

Como fazer a conclusão de uma redação?

A conclusão, como o próprio nome diz, fecha as ideias apresentadas na introdução e na argumentação. Ela confirmará a tese e apresentará uma proposta de intervenção condizente com a temática analisada e a discussão desenvolvida no texto. Essa proposta, para que a consideremos completa, apresentará cinco elementos obrigatórios. Então, vamos conhecer quais são eles!

A ideia da proposta de intervenção é sugerir mudanças que possam resolver o problema tratado no texto dissertativo-argumentativo, como já dissemos aqui neste guia de redação. Portanto, a primeira coisa em que você precisa pensar é uma ação que colabore para que essas mudanças aconteçam. Pense em algo inovador e que seja possível de realizar. Pode ser uma manifestação da sociedade, a criação de uma lei, a introdução de novas regulações, enfim, há muitas possibilidades. O essencial é que a proposta seja coerente com o projeto de texto. Fuja também de ações pouco efetivas e mais gerais, como “conscientização”, por exemplo.

Mas quem realizará essa ação? Bom, é a hora de conhecer outro elemento obrigatório: o agente. Normalmente os agentes para proposta de intervenção que mais aparecem são o governo, as escolas, a família e a própria sociedade. Você pode recorrer a movimentos sociais e a organizações não governamentais (ONGs) como agentes válidos. O importante é deixar claro quem efetivamente buscará a solução da questão sobre a qual você refletiu.

Toda ação precisa de um modo/meio para ser colocada em prática. Portanto, diga de que maneira os agentes farão o que você propôs acontecer. Mostre como e por quais meios (distribuição de verbas, investimentos em setores essenciais, entre outros) a ação se efetivará.

Dessa ação espera-se algum resultado que reflita o seu desejo em relação ao problema sobre o qual escreveu. Estamos agora falando do efeito. O que você espera que aconteça a partir da implantação da sua proposta? Como isso se relaciona com sua argumentação e tese? Mostre as vantagens da solução pensada por você para a sociedade.

Finalmente, é preciso dar algum detalhamento, ou seja, acrescente informações a um dos elementos anteriores. O detalhamento da ação, do agente e do modo/meio pode ser uma exemplificação, explicação, justificativa ou contextualização que nos deixe saber um pouco mais sobre um deles. Por exemplo: “O Ministério da Saúde, responsável pela distribuição de verbas aos estados para o tratamento de coronavírus, precisa atender prioritariamente as áreas consideradas mais graves”. O trecho destacado é um detalhamento do agente. Não é difícil, né?

Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. Trata-se do bom uso de elementos de coesão e coerência textual, presentes inter e intraparágrafos. Repetições e inadequações de escolha desses elementos devem ser evitadas. Os textos com notas altas nessa competência têm constantes ou expressivos elementos coesivos, com poucas repetições e inadequações. Já textos com palavras e períodos justapostos ou desconexos, sem articulação das ideias, aproximam-se da nota zero nessa competência. Observação: pesquise e saiba mais sobre os tipos de operadores argumentativos, essenciais para uma boa avaliação na competência 4.

Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos. Apresente os cinco elementos obrigatórios - que agora você já conhece - em uma ideia inovadora para solucionar o problema-foco do tema.

Hora de praticar!

Agora que você já conhece tudo o que precisa saber sobre a redação Enem, pratique a escrita para conseguir atingir o máximo de pontos em cada uma das cinco competências ou mesmo ser uns dos autores de uma redação nota mil. Para alcançar essa meta, estude gramática, pontuação, explore as opções de elementos coesivos e as formas de utilizá-los. Amplie seu repertório sociocultural e use-o de forma pertinente ao tema. Além disso, acostume-se a sempre pensar propostas completas de intervenção para as suas redações.

Caso você sinta dificuldades em entender a estrutura desse tipo de texto, leia alguns exemplos de redação nota mil. Você pode encontrá-las na internet. A ideia não é você se sentir intimidado por um texto que foi excelente, mas sim se inspirar e compreender cada parte da redação para poder se sair cada vez melhor na escrita. Pois é! Não tem outro jeito: acostume-se a treinar!

Conte com uma rede de apoio

A época de escolha do curso e da universidade não é fácil para ninguém. Há muita insegurança e medo, e a necessidade de ir bem nos estudos só faz com que esses sentimentos aumentem. Nessas horas, ter uma rede de apoio é fundamental para que você se mantenha motivado a aprender cada vez mais. Ter a oportunidade de ter seus textos de treino corrigidos é uma grande vantagem na corrida pela sua tão sonhada vaga na faculdade. Conte sempre com amigos e familiares, além dos professores, é claro, nessa caminhada!

E se você precisa de um olhar profissional de quem todos os dias busca o aprimoramento das redações, conheça a nossa plataforma de correções on-line! Nossos corretores são formados e capacitados para dar a você a melhor experiência, pois o seu sucesso é nosso propósito! Conheça nossos planos! Certamente haverá um que se encaixa às suas necessidades!

Saber como está o seu desempenho hoje e o que precisa ser aprimorado vai colocá-lo diante de uma nova forma de estudar para o Enem. Este guia de redação é só começo! Agora é com você – e, se quiser, com a gente também!