Leia os textos motivadores abaixo para desenvolver a produção de texto que se pede na sequência.

Texto 1

Por que o general do Irã, Qasem Soleimani, foi morto pelos EUA e o que acontece agora

O assassinato do general Qasem Soleimani, comandante da Força Quds da Guarda Revolucionária iraniana, representa uma escalada dramática na tensão entre os EUA e o Irã – e as consequências podem ser significativas. 

É de se esperar uma retaliação. E o encadeamento de ações e represálias pode deixar os dois países mais próximos de um confronto direto. O futuro de Washington no Iraque pode muito bem ser colocado em xeque.

A estratégia do presidente americano, Donald Trump, para a região – se ele tiver uma – será testada como nunca antes. Philip Gordon, que era o coordenador da Casa Branca para o Oriente Médio e o Golfo Pérsico durante o governo de Barack Obama, classificou o assassinato de Soleimani como praticamente uma “declaração de guerra” contra o Irã. 

A Força Quds é o braço das forças de segurança do Irã, responsável pelas operações no exterior. Por anos, seja no Líbano, no Iraque, na Síria ou em outros lugares, Soleimani buscou ampliar a influência do país persa por meio do planejamento de ataques ou apoio a aliados locais de Teerã.

Figura popular

  Para Washington, ele era um homem que tinha o sangue de americanos nas mãos. Mas, no Irã, ele era popular. Na prática, foi Soleimani quem liderou a reação de Teerã contra a ampla campanha de pressão e sanções impostas pelos EUA. 

O que mais surpreende não é que Soleimani estivesse na mira do presidente Trump, mas por que os EUA decidiram atacá-lo justamente agora […]

5 mil soldados dos EUA 

O que vai acontecer a seguir é a grande questão. O presidente Trump espera que em uma tacada só tenha intimidado o Irã e provado a seus aliados, cada vez mais apreensivos na região, como Israel e Arábia Saudita, que os EUA ainda têm força. 

No entanto, é quase inconcebível que não haja uma resposta iraniana robusta, mesmo que não seja imediata. 

Os 5 mil soldados americanos no Iraque são um alvo potencial óbvio, assim como os alvos atacados pelo Irã ou seus aliados no passado. As tensões serão maiores no Golfo. Não é de se admirar que o impacto inicial tenha sido o aumento dos preços do petróleo. Os EUA e seus aliados estarão focados em suas defesas.

Mas é igualmente possível que a resposta do Irã seja, de certo modo, assimétrica – em outras palavras, que ele não revide um ataque com outro ataque. Ele pode querer jogar com o amplo apoio que tem na região, por meio das alianças que Soleimani construiu e financiou.

Fonte: www.noticiais.uol.com.br/ Acesso em 12/01/2020

Texto 2

EUA X Irã: quais as chances de uma 3ª Guerra e de o Brasil ser envolvido?

Especialistas não acreditam que as tensões entre Estados Unidos e Irã escalem para um conflito de proporções mundiais e dizem que as consequências para o país podem ser de ordem econômica.

A morte do general iraniano Qassem Soleimani, durante ação com drone ordenada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na última quinta-feira (02/01), acendeu um alerta em todo o mundo e gerou receios sobre as possíveis consequências do ataque.  

Nas redes sociais, dois principais temores foram manifestados pelos internautas brasileiros: a execução de Soleimani e a promessa de vingança por parte do Irã são o início de um conflito de grandes proporções, como uma Terceira Guerra Mundial? E ainda: o Brasil, ao se posicionar, por meio do Ministério das Relações Exteriores, ao lado dos Estados Unidos, pode sofrer algum tipo de ataque por parte do Irã ou de seus aliados?

Especialistas ouvidos pelo Correio acreditam que a resposta para as duas perguntas é não. Uma Terceira Guerra, em moldes semelhantes ao que foram as duas primeiras, mostra-se praticamente impossível na configuração geopolítica atual. 

Já em relação às consequências ao Brasil, se elas ocorrerem, devem ser do ponto de vista econômico, mas não na forma de ataques bélicos. “Vi alguns comentários de pessoas se perguntando se o Brasil cogita enviar tropas (para a região). Para mim, isso é impensável”, diz o professor de relações internacionais do Ibmec, Ricardo Caichiolo. 

Fonte: www.correiobraziliense.com.br/ Acesso em 12/01/2020

Texto 3

Em meio à crise EUA x Irã, brasileiros pedem #BolsonaroFicaCalado

Em memes, os internautas usaram a criatividade para mostrar preocupação com um possível apoio do presidente a um dos lados da disputa.

O ano começou marcado por tensões entre Estados Unidos e Irã. Agora, a preocupação dos brasileiros é com a manifestação do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), sobre o impasse estrangeiro.

Nas redes sociais, há até quem cogite uma terceira guerra mundial. E a pressão fica ainda maior ao imaginar o Brasil fazendo parte desse conflito. Por isso, os internautas pedem: #BolsonaroFicaCalado.

Os assuntos mais comentados do momento, nesta sexta-feira (03/01/2020), são Irã e Estados Unidos, Bolsonaro Fica Calado e Terceira Guerra Mundial. Apesar das circunstâncias conflituosas, os internautas não deixaram barato e montaram um festival de memes no Twitter.

Fonte: www.metropoles.com.br/ Acesso em 12/01/2020

Texto 4

Resultado de imagem para meme brasil irã

Fonte: https://emais.estadao.com.br/ Acesso em 16/01/2020

Após ter feito uma leitura atenta e criteriosa dos textos motivadores apresentados acima, redija uma dissertação do tipo argumentativa, com tamanho máximo de 30 linhas, obedecendo às regras da linguagem padrão da Língua Portuguesa, sobre o tema: Brasil e as tensões geopolíticas no Oriente Médio.

CONFIRA REPERTÓRIOS PARA ESTE TEMA!

QUERO USAR ESSE TEMA!

Leia também:

Tema de Redação: Mulheres na política brasileira

Tema de Redação: Fake news no cenário político mundial

12 novos documentários disponíveis na NETFLIX para escrever melhores redações

5 formas de melhorar seu repertório sociocultural para a redação

Tema de Redação: Saneamento básico no Brasil

Comentários do Facebook