Texto 1:

O movimento antivacinação tem proliferado nos últimos anos, principalmente, por meio do ativismo propagado nas redes sociais. A falsa segurança (decorrente da ausência de surtos), o medo de reações colaterais à vacina e a difusão de informações falsas são as principais causas.

A saúde pública no Brasil é extremamente precária, entretanto, a política de vacinação implantada pelo Sistema Único de Saude não só se mostrou eficiente, mas um modelo de prevenção para diversos países. Essa eficiência, portanto, foi responsável pela erradicação da Poliomelite e redução de outras doenças a níveis ínfimos; o que fez com que muitos negligenciassem a importância da vacinação e questionassem sua real eficácia.

Há, por parte de vários pais, certo receio em relação aos efeitos adversos das vacinas, já que, comumente, desencadeiam pequenas reações alérgicas nas crianças. Por mais que lhes doam o sofrimento dos filhos, esse é menos nocivo que o impacto de doenças e epidemias. Embora tal atitude fosse mais esperada em camadas pouco instruídas ou pobres da população, jovens de classe media, com alta escolaridade e acesso à informação estão entre os principais adeptos da antivacinação. Se a predileção por terapias alternativas (homeopatia, florais, cristais, “reiki” e benzeduras etc), tem suplantado a “crença” em vírus, fungos e bactérias, quem sofre riscos e/ou danos permanentes de doenças triviais – já que vacináveis, – são as crianças não imunizadas.

[…]A proliferação do movimento antivacina comprova a atual demonização do conhecimento científico. A promoção do discurso do medo, da ignorância e do obscurantismo necessita, portanto, ser combatida com uma educação que garanta um olhar mais crítico sobre as mídias e a realidade.

Fonte: http://redacaoemrede.blogspot.com.br/2017/10/redacao-tema-o-movimento-antivacinacao.html

Texto 2:

Durante muitos séculos, a humanidade acreditou que a Terra era plana. Era o pensamento mais lógico para o cidadão comum da Idade Média, que via um mundo plano à sua frente e não algo que remetesse a uma superfície esférica. Por mais que a ciência tenha provado que estamos mesmo habitando um gigantesco globo, ainda tem uns malucos por aí que insistem em dizer que essa ideia de planeta redondo é tudo uma conspiração.

Tanto que há até um grupo organizado de pessoas que acreditam nessa teoria. A Sociedade da Terra Plana existe desde 2004 e possui apenas 200 membros, mas conta com um site próprio e várias explicações que reforçam seu ponto de vista sobre a forma da Terra — com direito até mesmo a uma biblioteca sobre o tema, uma galeria de mapas e fóruns para que os participantes discutam suas teorias. Há também uma loja com produtos relacionadas a isso tudo, mas todos os itens estão fora de estoque.

É claro que há muita piada nisso tudo, mas também há aqueles que levam a discussão toda muito a sério. Segundo o vice-presidente da Sociedade, Michael Wilmore, muitos associados participam apenas para ter um certificado engraçado em suas paredes, mas outros têm uma crença legítima sobre o assunto e que ele mesmo acredita nisso de verdade. Para Wilmore, esse ponto de vista é resultado de um processo de “introspecção filosófica e uma quantidade considerável de dados” que ele observou.

Fonte:  https://canaltech.com.br/ciencia/entendendo-a-loucura-de-quem-acredita-que-a-terra-e-plana-56783/

Texto 3:

Fonte: https://profjosepsantos.files.wordpress.com/2011/03/os_metodos.gif

Com base nos textos motivadores e no seu conhecimento, produza um texto dissertativo-argumentativo tendo como tema: A crescente descrença no pensamento científico no Brasil.

QUERO APRENDER REDAÇÃO!

Comentários do Facebook