logo redação online

Sub-representação feminina na política | Tema de redação

Sub-representação feminina na política

Tivemos uma mulher presidente, temos muitas mulheres parlamentares, e por todo o Brasil elas são prefeitas e governadoras. Mas ainda são minoria. Por quê? É uma questão que transformamos numa proposta de redação para o Enem – role a tela e treine-o!

Um tema instigante – assim é que nossa equipe de professores classificou a questão da sub-representação feminina na política. Sim, o machismo na sociedade pode explicar o fato, mas descobrimos outras possíveis razões. 

Elas estão nos textos abaixo e com base neles você deve escrever uma dissertação argumentativa sobre o tema “a sub-representação feminina na política”. Estamos curiosos para saber quais as propostas de intervenção que você daria… envie sua redação para nossos corretores lerem!

TEXTO 1

Pesquisa revela perfil e atuação das mulheres na política

A matemática é simples: quanto mais mulheres na política, mais avançam projetos e demandas femininas. Atualmente, representando apenas 9% da Câmara dos Deputados, as mulheres parlamentares ainda convivem com uma divisão sexual do trabalho político. Enquanto homens participam de pautas consideradas mais relevantes pelos políticos, como tributação, economia e divisão de poderes, elas são alocadas em temas como educação, saúde e cidadania.

Essa foi uma das conclusões do mestrado defendido pela cientista política Beatriz Rodrigues Sanchez no Departamento de Ciência Política da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, em janeiro de 2017. O intuito foi verificar se as deputadas em Brasília representam os interesses da população feminina brasileira.

A pesquisa contemplou um perfil biográfico das congressistas, o qual revelou que 80% delas têm nível superior completo – em contraste com a média da população feminina brasileira de 12,5%, segundo dados do último censo do IBGE. Por outro lado, 65% das parlamentares são católicas, coincidindo com a média da população brasileira, também segundo o instituto.

fonte: jornal usp – pesquisa revela perfil e atuação das mulheres na política

TEXTO 2

TEXTO 3

Por que há poucas mulheres na política brasileira?

[repórter] Se as mulheres tiveram e tem protagonismo em vários episódios recentes (#elenão, morte da vereadora Marielle) por que isso não se traduz em maior presença na política tradicional?

[Ivan Mardegan] As mulheres, sem nenhuma dúvida, são capazes de se mobilizar e militar politicamente. Qualquer um que diga que elas “naturalmente” não se interessam ou não sabem fazer política está reproduzindo um preconceito, um estereótipo de gênero que não tem nada a ver com a realidade. Mas para que essa energia seja traduzida em presença na política institucional ela precisa virar votos. É preciso que as lideranças desses movimentos entrem para a política institucional, se filiem a um partido, participem das atividades partidárias, se candidatem a vereadoras, prefeitas, deputadas estaduais.

Construir um capital político local é um dos principais meios de se cacifar para disputar uma vaga no Congresso Nacional. Novos incentivos e regulações para que partidos incluam mulheres nas atividades, especialmente em postos de liderança, e que garantam condições para o desenvolvimento das candidaturas.  

Movimentos como Iniciativa Brasilianas, Vote Nelas e Elas no Poder são interessantes porque mobilizam e qualificam candidaturas femininas para a construção desse capital político.

adaptado de: cepesp io – por que há poucas mulheres na política brasileira 5 perguntas para ivan mardegan

TEXTO 4

Expandindo a participação

A participação política equilibrada e a divisão do poder entre mulheres e homens na tomada de decisões é a meta acordada internacionalmente na Declaração e Plataforma de Ação de Pequim.

Embora a maioria dos países do mundo não tenha alcançado a paridade de gênero, contribuíram substancialmente para o progresso ao longo dos anos. Em países com cotas de candidatas legisladas, a representação das mulheres é cinco pontos percentuais e sete pontos percentuais maior nos parlamentos e no governo local, respectivamente, em comparação com países sem essa legislação.

Há evidências de que a liderança das mulheres nos processos de decisão política as melhora, por exemplo, uma pesquisa sobre panchayats (conselhos locais) na Índia descobriu que o número de projetos de água potável em áreas com conselhos liderados por mulheres era 62% maior do que conselhos liderados por homens. Na Noruega, foi encontrada uma relação causal direta entre a presença de mulheres nos conselhos municipais e a cobertura de creches.

As mulheres demonstram liderança política trabalhando em todas as linhas partidárias por meio de convenções parlamentares de mulheres – mesmo nos ambientes politicamente mais combativos – e defendendo questões de igualdade de gênero, como a eliminação da violência de gênero, licença parental e creche, pensões, igualdade de gênero leis e reforma eleitoral

traduzido livremente de unwomen org – leadership and political participation 

Repertórios socioculturais relacionados ao tema “sub-representação feminina na política”

filme – “Golda”, de 1982, conta a história da primeira-ministra israelense Golda Meir, que  teve de tomar decisões importantes em 1973, quando Israel foi atacada por outros países.

vídeo – assista a esta palestra da professora-doutora pela USP, Mônica Sodré, sobre os motivos pelos quais as mulheres não estão na política e como aumentar a participação delas.

livro –  Mulheres na política. Elas podem. O Brasil precisa, é um e-book gratuito do TRE de Santa Catarina; aproveite porque tem muito repertório bom nele!

reportagem repertório cheio de números sobre quantas mulheres foram eleitas no último pleito. 

opinião a advogada Camila Vaz revela como os partidos políticos resolvem (de forma ilegal) a cota para mulheres nos cargos políticos – você precisa ler para saber o que são as “candidatas laranja”!

estatística números importantes de todo tipo, obtidos depois das eleições de 2023, mostrando a eleição de mulheres na política, organizados pelo TSE.

documentário – Angela Merkel foi primeira-ministra alemã e marcou uma época; este vídeo completo fala tudo sobre ela.

vídeo – como explicar a pouca participação feminina na política brasileira? este vídeo ajuda nessa hora.

Você vai concordar que a sub-representação feminina na política é um tema com grande probabilidade de cair no Enem. E se você quiser saber como pode melhorar sua nota para a redação do Enem, nossos corretores podem te falar!

POSTS RELACIONADOS

Tudo sobre o fies 2024

A Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, estabeleceu o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) com o propósito de oferecer financiamento a estudantes