A romantização da maternidade e a culpabilização da mulher | Repertórios para o tema

por | maio 28, 2021

Quer saber mais sobre o tema ”A romantização da maternidade e a culpabilização da mulher”? Confira alguns repertórios que preparamos para o tema e escreva a sua redação!

Nos últimos tempos, cada vez mais mulheres vêm lutando pela disseminação de uma visão real da maternidade, que tira das costas da mãe o peso da perfeição e a consequente culpa ao, naturalmente, não alcançá-la.

Pensando nisso, sugerimos o tema “A romantização da maternidade e a culpabilização da mulher e agora lhe indicaremos alguns conteúdos que podem ser usados como repertório sociocultural na sua redação!

FILME: Perfeita é a mãe (2016)

Por que não refletir sobre um tema sério, mas, ao mesmo tempo, dar boas risadas? É isso que propõe a comédia “Perfeita é a mãe” (2016). O filme contra a história de Amy, uma mulher que tem uma bela casa, um casamento ótimo, filhos educados e uma carreira de sucesso.

Tudo parece um sonho até ela perceber que se sentia muito sobrecarregada e refém da incansável busca pela perfeição. Um dia, Amy resolve se rebelar contra as suas intermináveis tarefas e, junto a outras duas mães – Carla e Kiki – experimenta a liberdade de não (tentar) ser perfeita. 

SÉRIES: Supermães (Netflix)

Na mesma linha, temos “Supermães”, da Netflix. A série, por meio do dia a dia de quatro mães –  mostra “lado B” da maternidade e os desafios enfrentados por Kate, Anne, Jenny e Frankie, que estão retomando o trabalho após a licença maternidade.

Cada uma encara o retorno à vida profissional  de uma forma, e aqui merece destaque a saga de Anne, que muitas vezes se vê diante da terrível escolha entre ser uma profissional de sucesso ou uma mãe exemplar.

Além disso, a série aborda temas muito  importantes para a sociedade, como machismo em ambiente de trabalho, aborto, depressão pós-parto, entre outros assuntos que merecem a nossa atenção.

FILME: Tully (2018)

Disponível no Amazon Prime Video, este filme mostra o esgotamento materno. Marlo, mãe de três filhos, vive desanimada, em uma rotina que demanda sua doação integral.

Beirando a depressão pós-parto, ela recebe ajuda de uma babá para enfrentar essa fase difícil.

DOCUMENTÁRIO: Odeio a maternidade, amo meu filho (Youtube)

Disponível no Youtube, o documentário “Odeio a maternidade, amo meu filho” ousa contar verdades sobre a maternidade que, durante muito tempo, a romantização dela tentou esconder. 

Os relatos reais de mães comuns mostram o quanto o modelo ideal de maternidade implica a culpabilização das mulheres por coisas supérfluas, como a filho usar chupeta durante mais tempo que o esperado, e por ousar dizer que ser mãe não é um “mar de rosas” sempre. 

ARTIGO: “Filhos? Não. Obrigada.” Maternidade compulsória e romantização do maternar

Com a romantização da maternidade, vem a maternidade compulsória, afinal, como alguém pode não querer para si o sonho de ser mãe? Este artigo da médica Júlia Rocha reflete sobre isso e nos mostra que as mulheres são culpabilizadas, também, quando não desejam a maternidade.

Os materiais que listamos irão, com certeza, te ajudar a refletir sobre o tema. Lembrou de algum outro filme, livro ou vídeo que trate sobre o assunto? Conte pra gente nos comenários! Talvez o seu repertório sociocultural possa ajudar outros estudantes a refletirem sobre o tema!

Agora, organize estes repertórios e escreva a sua redação! Lembre: enviando a sua redação em nossa plataforma, você a recebe corrigida em até 3 dias úteis!

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é ad-3-1-1024x536.jpg
<a href="https://redacaonline.com.br/blog/author/juliane-motta/" target="_self">Juliane Motta</a>

Juliane Motta

Licenciada em Letras - Língua Portuguesa e Literaturas pela UFSC. Professora de Gramática e Redação. Graduanda em Pedagogia. Experiência de 7 anos com redação do ENEM.
Assine um plano do Redação Online
Como fazer uma Redação do zero
Guia da Redação ENEM: tudo o que você precisa saber
Como tirar nota mil na Redação ENEM