Os impactos do movimento antivacina são o tema da redação desta semana. Preparamos uma lista para você aprofundar os conhecimentos sobre o assunto e demonstrar repertório sociocultural pertinente no seu texto.

Clique aqui para conferir o tema ”Impactos do movimento antivacina à saúde”!

Para desenvolver o tema desta semana, você precisa conhecer bem o assunto e ler as notícias recentes que apontam o movimento antivacina como um risco à saúde pública. No entanto, busque entender também porque algumas pessoas não acreditam na importância da vacinação. A partir disso, selecione os argumentos que irão defender o seu ponto de vista. Assim, para ajudar nessa tarefa, acesse algumas das nossas sugestões a seguir. Lembre-se de fazer a sua própria pesquisa sobre o assunto e treine bastante!

Boa leitura!

1. Documentário: Pandemia (Netflix, 2020)

Embora todos estejamos exaustos de falar sobre pandemia, em um momento em que o mundo está ansioso pela descoberta de uma vacina para o novo coronavírus é inevitável saber mais sobre isso. A Netflix lançou neste ano a série documental Pandemia, em 6 episódios. Nela, é mostrada a rotina de especialistas no combate à gripe e cientistas preveem que uma pandemia devastadora estava prestes a acontecer. E não é que estavam certos? No episódio dois, é mostrado como o debate sobre vacinação se intensifica. No quatro, o discurso antivacina provoca ataques a médicos e profissionais de saúde no Congo. Vale a pena conferir!

2. Explicando: A próxima pandemia (Netflix, 2019)

Em 2019, quase profeticamente, um episódio da segunda temporada da série “Explicando” abordou a iminência de uma nova pandemia. Assim, de forma didática, direta e simples, você compreenderá como pandemias de gripe nascem e se tornaram cada vez mais constantes no planeta. A partir disso, reflita a respeito da importância da ciência e da imunização em massa para a prevenção de doenças contagiosas.

3. Vídeo: Vacinas fazem mal? Nostalgia Ciência (2018)

Neste vídeo do Canal Nostalgia, de Felipe Castanhari, é mostrado como surgiu a vacina da varíola e também é comentado sobre o funcionamento das vacinas no organismo. Ele menciona o crescimento do movimento antivacina  que associa a vacina tríplice viral ao autismo. Tal movimento teve início com a publicação, em 1998, do estudo do médico britânico Andrew Wakefield. No entanto, anos mais tarde, descobriu-se que o médico havia forjado os resultados da pesquisa. Contudo, o estrago já havia sido feito. Até hoje, os reflexos dessa publicação estão presentes nas ideias de quem não acredita nos avanços da ciência e dissemina fake news. O vídeo tem cerca de 12 minutos e é bastante didático!

4. Vídeo: Movimento antivacina começou com um médico: Andrew Wakefield | Meteoro por trás da ciência

Se você tiver curiosidade em saber mais sobre o médico que deu munição ao movimento antivacina, assista a esse vídeo disponível no Youtube. Nele, comenta-se como foi feito o estudo de Wakefield e como ele conseguiu publicá-lo em uma das maiores revistas médicas do mundo, a Lancet. Ademais, mostra como a pesquisa gerou constrangimento à revista e fez com que o médico perdesse a sua licença. Porém, ele ganhou uma legião de “seguidores”, gerando polêmicas nas mídias e fortalecendo ideias deturpadas sobre a vacinação.

5. Artigo: União Pró-Vacina produz material sobre como lidar com o negacionismo científico

Por meio de postagens em redes sociais, um grupo de divulgação científica da USP propõe estabelecer um diálogo saudável com quem prefere se pautar em ideologias pessoais e conspiracionistas. Assim, mesmo que o foco do material seja o movimento antivacina, as dicas servem para tópicos como a pandemia de covid-19 até o aquecimento global. Além disso, o material oferece links com evidências científicas contra as ideias falsas defendidas pelos negacionistas.

A fim de melhorar sua argumentação na redação, acesse também as artes produzias pelo grupo, disponíveis ao final do artigo.

Fonte: https://jornal.usp.br/universidade/uniao-pro-vacina-produz-material-sobre-como-lidar-com-o-negacionismo-cientifico/

6. Reportagem: Universo antivacina se expande em plena pandemia e aumenta desinformação

A partir desta matéria, publicada no portal UOL, é mostrado como, mesmo sem ainda existir uma vacina contra a covid-19, o movimento antivacina já atua distribuindo desinformação. Conforme a  notícia, houve o reaparecimento de antigas teorias conspiratórias sobre o tema. Além disso, com a covid-19, houve uma confluência entre antivacinas, antimáscaras e anticonfinamento. Todos esses grupos agem em nome nome da liberdade individual contra as autoridades, uma ideologia muito presente nos Estados Unidos. Certamente, essa forma de pensar tem reverberado em outros países, incluindo o Brasil.

Leia o conteúdo na íntegra e pesquise mais sobre isso na internet.

7. Artigo: O que foi a Revolta da Vacina, e quais suas semelhanças com o mundo de 2020

Para quem gosta de citar referências históricas na redação, esse conteúdo pode ajudar bastante, especialmente quando falamos de uso produtivo do repertório. De fato, não basta apenas mencionar o acontecimento, é preciso estabelecer uma relação clara entre ele o tema proposto. Neste artigo, você vai entender como a Revolta da Vacina pode apresentar semelhanças com o mundo em que vivemos hoje, o qual vê na vacina para covid-19 a única chance de um retorno à normalidade. Porém, nem todas as pessoas estão de acordo com isso e negam a ciência.

Por certo, além de ficar mais preparado(a) pra escrever  o seu texto, você relembrará assunto visto nas aulas de História.

Não só acesse essas nossas sugestões, como também aprofunde sua pesquisa a partir do que destacamos aqui. Lembre-se de que a escolha de repertório pertinente ao tema garantirá sua boa nota da redação. Parafraseando Vinícius de Moraes: as redações baseadas nos textos motivadores que nos desculpem, mas ter uma argumentação consistente é fundamental!

QUERO APRENDER REDAÇÃO!

Comentários do Facebook