logo redação online

Proposta de intervenção: quais órgãos do governo citar?

IMAGEM SOBRE ÓRGÃOS DO GOVERNO PARA CITAR NA REDAÇÃO

Não é novidade que uma boa proposta de intervenção pode garantir 200 pontos na sua redação para o Enem. Ela é avaliada na competência V e, para ser considerada completa, precisa conter agente, ação, modo/meio, efeito e detalhamento de algum dos itens anteriores. Portanto, treinar as propostas é fundamental para quem quer tirar uma excelente nota – ou, por que não, atingir a tão sonhada nota mil.

Mas será que você sabe fazer uma proposta de intervenção interessante e, principalmente, coerente? Então, acontece que, algumas vezes, os participantes até conseguem pensar em uma ação bacana e que tenha um efeito bom. Porém, a associam a órgãos/entidades que não têm competência para colocá-la em prática. Alguns dos exemplos mais clássicos são:

  • escrever que o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) deve tomar atitudes para algo (o ECA, sendo um documento, não pode agir de nenhuma maneira!);
  • pedir que a Receita Federal distribua verbas – é importante conhecer suas funções;
  • Pedir que o TCU (Tribunal de Contas da União) dê dinheiro para determinado projeto – procure saber para que ele serve.
  • e por aí vai…

Assim, para você não ficar mais perdido(a) na hora de dizer quem vai fazer a ação que você pensou para o tema de redação, vamos explicar aqui o que fazem alguns órgãos do governo. Lembre-se de que há outras possibilidades de agentes, fora o governo, tá? Então, não se limite a eles. Mas, se for usar, use direito!

Aliás, neste vídeo você aprende de verdade a fazer a proposta de intervenção com a Professora Chay:

Além de saber qual a função de cada ministério, tome cuidado com as nomenclaturas. Isso porque algumas pastas não existem mais (como o Ministério da Cultura, que é hoje uma Secretaria) e outras formam conjunto com outras pautas. Portanto, busque sempre se informar sobre quais ministérios/secretarias de fato atuam no momento. Acompanhe alguns dos principais órgãos a seguir.

Trata-se da pasta responsável pela preservação do meio ambiente. Além disso, controla o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). Se o tema da sua redação está no eixo das questões ambientais (poluição, desmatamento), este é um agente que pode ser mencionado. Isso, claro, dependendo da ação que você propuser.

 Antes apenas Ministério dos Direitos Humanos, a pasta agora também absorveu as demandas de mulheres e da família. Sua finalidade é bem ampla e engloba promover políticas públicas para a inclusão de grupos minoritários, entre eles, negros, indígenas e pessoas com deficiência. Assim, você pode usá-lo como agente na proposta de intervenção em diversas temáticas. Em especial, aquelas que dizem respeito à cidadania e aos direitos das minorias. 

 O objetivo dessa pasta é promover o agronegócio e a segurança alimentar no país. De forma controversa, também tem a responsabilidade de cuidar da Fundação Nacional do Índio (Funai). A agricultura familiar, por exemplo, recebe apoio de programas desse ministério. Então, considerando a atual situação de escassez de alimentos, sendo o país um dos maiores produtores de alimentos do mundo, esse é um bom agente a ser cobrado a agir no seu texto se o tema tiver relação com essa questão. Além disso, é interessante pensar na sua ligação com a pasta do meio ambiente, não é mesmo?

 Antes de continuarmos, que tal conferir este post para dominar de ver a Competência V:

Agora, se o tema da redação tiver a ver com ensino no Brasil, o Ministério da Educação pode ser o seu agente na proposta de intervenção. Ele é responsável, por exemplo, pela Política Nacional da Educação e deve zelar pela qualidade e pelo cumprimento das normas educacionais. A propósito, muita gente apostou que o tema do Enem 2020 seria sobre alfabetização… Será que ficou para 2021? De todo modo, ações ligadas à educação são possíveis em muitos temas, visto que uma boa base educacional ajuda bastante a exercer a cidadania. Concorda?

Aqui, trata-se de uma pasta que deve promover o turismo como atividade econômica autossustentável. Ou seja, fazer com que o turismo gere empregos, a fim de fomentar a inclusão social. Claro que a escolha de um agente na proposta de intervenção depende muito da sua argumentação, do caminho que você tomou para tratar o tema. Mas, por exemplo, quando se falou em desigualdade social no tema da reaplicação do Enem 2020, o Ministério do Turismo poderia ser um órgão interessante para agir e mudar esse quadro por meio de decisões políticas.

Na atual gestão, na intenção de reduzir o número de pastas – o que, em teoria, diminuiria também custos – ministérios com similaridades foram agrupados e assim chamados de “superministérios”. Você sabia? Veja quais são eles e em que eixos temáticos eles podem ser usados como agentes. Mas atenção: não precisa colocar no seu texto a palavra Superministério, tá? A menos que você queira destacar essa união das várias pastas – nesse caso, use aspas.

Inclui: Ministério da Segurança Pública (ações da Polícia); Ministério do Trabalho (fiscalização e auditoria às condições de trabalho e afins); COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) – que investiga toda e qualquer movimentação financeira suspeita; e CGU (Controladoria Geral da União) – que atua para prevenção e combate à corrupção.

Use-o como agente em temas que tratam de questões de segurança pública, relações trabalhistas e combate à corrupção.

Confira neste Reels uma checklist para mandar bem na competência V:

 Tem a responsabilidade de promover programas culturais, esportivos, além de itens importantes como assuntos relativos à Lei Rouanet e ao Programa Bolsa Família. Na pandemia, cuidou das ações para implantação do auxílio emergencial, determinado pelo Legislativo. Novamente, pode ser um agente na proposta de intervenção de temas relativos a programas e ações afirmativas no combate às desigualdades sociais

Resultado da maior fusão de pastas ministeriais, dita a política econômica, o orçamento, os projetos que terão investimentos, os cortes de gastos e todas essas decisões impactam diretamente na vida dos brasileiros. Um dos temas caros a esse “superministério” é a Reforma Tributária. Nele, estão contidos: Ministério da Fazenda, que cuida da política econômica nacional e também da estrutura fiscal; Ministério do Planejamento, o responsável pelo planejamento de custos e controle do orçamento do governo; Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), que cuida de todas as operações de importação, exportação e comércio; e parte do Ministério do Trabalho.

Composto pelos Ministério das Cidades e pelo Ministério da Integração Nacional, cuida de programas governamentais como o Minha Casa, Minha Vida. Além disso, deve atuar em ações de saneamento ambiental, redes de esgoto e tratamento dos recursos hídricos. Portanto, quando os temas demandarem ações que tenham a ver com a infraestrutura proporcionada à população – como fazer chegar água a regiões isoladas, por exemplo, coloque esse “superministério” na roda.

Para saber ainda mais, consulte os canais oficiais. Lembre-se de sempre se atualizar quando acontece mudança de ministros e/ou de governos. Além disso, não se esqueça que alguns temas podem exigir ações mais localizadas. Assim, cabe conhecer também os órgãos ligados aos governos estaduais e às prefeituras.

É bastante coisa para absorver, né? Então, anote aí os principais para usar nas suas redações! Neste vídeo a professora Chay te ensina a usar os ministérios na proposta de intervenção:

Curtiu as dicas? Que tal ir agora à nossa plataforma e escolher um tema para treinar a escrita da redação? Depois, envie o texto para os nossos corretores para eles avaliarem! Até a próxima!

POSTS RELACIONADOS

Tudo sobre o fies 2024

A Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, estabeleceu o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) com o propósito de oferecer financiamento a estudantes