Ícone do site Redação Online

O uso de estereótipos de gênero no humor na mídia brasileira | Tema de redação

pessoas rindo humor piada

estereótipos-de-gênero-humor

No passado, os humoristas Rafinha Bastos e Danilo Gentili contaram piadas machistas na TV, e tiveram problemas com isso. Por sua vez, o saudoso humorista Jô Soares divertiu gerações com seus personagens gays. 

Assim, para você, tem graça esse tipo de humor que envolve estereótipos de gênero? Pode parecer uma pergunta fácil de responder, mas não é, não: onde entra a liberdade de expressão nessa hora?

Então, temos abaixo opiniões variadas sobre o fato, inclusive do próprio Jô Soares. Use-as para escrever uma redação dissertativa-argumentativa sobre o tema “O uso de estereótipos de gênero no humor da mídia brasileira”. Pense em argumentos fortes e propostas de intervenção.

O uso de estereótipos de gênero no humor na mídia brasileira – Texto 1

Significado de Humor

n.m.

1. Ação de rir ou de fazer outra pessoa rir;

2. Característica ou atributo do que é engraçado ou divertido; graça, jocosidade ou jovialidade;

3. Ânimo, estado de espírito ou disposição de um indivíduo num dado momento;

4. Aptidão ou competência para admirar o que é jocoso ou cómico.

(Etm. do inglês: humour)

Fonte: lexico – humor

O uso de estereótipos de gênero no humor na mídia brasileira – Texto 2

A (re)produção do estereótipo nas piadas: sobre os sentidos do humor

 

Quer seja para tornar-se a todos acessível a compreensão ou como reprodutor dos discursos que circulam clandestinamente, o humor sempre tem à mão o estereótipo como provocador do riso. No caso do humor com o homossexual ele desenha uma identidade para esse grupo social que quase sempre se traduz numa atitude de desvalor para com aqueles sujeitos que a ele pertencem.

Ademais, o indivíduo homossexual torna-se preso a uma identidade que lhe é imposta de forma preconcebida e vê-se tolhido de viver muitas vezes uma sexualidade plena e livre de limitações afetivas e sociais. As limitações presentes nas relações homoeróticas são prejudiciais também aos indivíduos heterossexuais que precisam entrincheirarem-se em suas identidades convencionalmente “estáveis”; o que delimita sua visão prática da sexualidade.

Então, enunciar o homossexual como efeminado, frágil, pervertido e fútil tem sido uma regularidade no discurso humorístico. Logo, este é, sem dúvida, um estereótipo que traz consigo uma discursivização sobre homossexual cujos efeitos incidem sobre a maneira como estes sujeitos vivem e constituem sua sexualidade enquanto prática social.

Fonte: revista uepb edu

O uso de estereótipos de gênero no humor na mídia brasileira – Texto 3

Humor como contestação: a desconstrução de estereótipos preconceituosos da mulher nos vídeos do canal porta dos fundos

Ao analisarmos dois vídeos do canal humorístico Porta dos Fundos, que propõe a inversão do papel da mulher e do homem em situações bastante comuns no dia a dia, percebemos como ainda é difícil ser mulher na sociedade atual. Pouco parece ter evoluído: ainda cultua-se o machismo como religião; ainda desfaz-se por completo dos desejos, realizações e aspirações femininas; ainda atribui-se um lugar desigual às mulheres, em relação aos homens, de maneira cega. A ideologia dominante e os estereótipos criados por ela são amplamente aceitos e propagados, sem pensamento crítico ou questionamento, causando sofrimento, medo e angústia.

Ademais, é chegado o momento que canais como o Porta dos Fundos venham estampar, através do humor, o absurdo escondido detrás deste véu colocado sobre nossos olhos. Ao propor inversões de papéis e quebras de expectativas, o canal escancara comportamentos degradantes e ridiculariza a ação robótica de grande parte da sociedade. Assim, graças a canais como estes e os movimentos feministas, as mulheres hoje conseguem se apoderar um pouco mais de suas próprias vidas, se sentindo, pelo menos, capazes de reclamar, gritar, reagir, ao se verem alvo de comportamentos machistas e que as desqualificam. Só o fato de se sentirem capazes de reagir já demonstra um passo no caminho da libertação.

Fonte: caderno paic fae

O uso de estereótipos de gênero no humor na mídia brasileira – Texto 4

Fábio Porchat: “Para que fazer piada de loira burra em 2020?”

 

O humorista defende a renovação das piadas à medida que a sociedade evolui. “Os tempos mudam. Está mudando no humor, na propaganda, na medicina. Está mudando para todo mundo. Você tem que ficar atento para não envelhecer. Ainda mais o humorista. Se tem uma coisa que envelhece é o humor. Se você assiste um negócio de 10 anos atrás, é mais difícil dar risada.

Você tem que ficar muito atento com o que acontece em sua volta, não só as situações curiosas e engraçadas do dia a dia, mas também de como o mundo está. Temos que ver como o mundo está caminhando e como poder brincar com isso, sem ofender ninguém. As pessoas falam: ‘Ah, mas eu não posso mais contar piada de gordo?’. Claro que pode, mas não do jeito que se fazia há 20 anos. Você não pode mais diminuir e humilhar as pessoas. Não pode fazer o gay virar chacota por ele ser gay”, justifica.

Fonte: revista quem glob – fabio porchat para que fazer piada de loira burra em 2020

O uso de estereótipos de gênero no humor na mídia brasileira – Texto 5

“Nada descreve melhor o caráter dos homens do que aquilo que eles acham ridículo”-  

Frase de Goethe (1749-1832), escritor alemão.

Repertórios socioculturais relacionados ao tema “O uso de estereótipos de gênero no humor da mídia brasileira”

 

Livro – Do que riem as pessoas inteligentes?, de Manfred Geier, mostra quais os motivos de risada em todas as épocas. 

Opinião – escolhemos para você a opinião de uma advogada sobre o humor que usa o estereótipo gay. 

Vídeo Jô Soares era bem claro quanto a fazer humor com estereótipos, não deixe de ver este trecho de sua entrevista!

 

Informativo – você precisa visitar esta página criada por alunos do curso de Comunicação da UEM – eles mostram os personagens de Jô Soares e Chico Anísio que fizeram sucesso com humor sobre gays.

Llivro-tese – leia este estudo completo, realizado para a UnB, sobre o que está por trás do humor que envolve homossexuais na mídia. 

Reportagem – ótimo artigo com vídeos dos sucessos humorísticos do Casseta & Planeta; veja os estereótipos de gênero que envolviam os homossexuais – fariam você rir hoje?

Vídeocomo o humorista Fábio Porchat faz para evitar usar estereótipos ofensivos? veja neste vídeo

Então, quem diria: os estereótipos de gênero no humor da mídia virando uma coisa séria dessas! Enfim, terminamos aqui mas no fundo gostaríamos de ver sua redaçãomande para nossos corretores!

Sair da versão mobile