Texto 1

Acomodação. Esta é a palavra usada por especialistas para definir a razão de um acontecimento cada vez mais comum dentro das salas de aula. Muitos estudantes não estão preocupados em ler, pesquisar ou aprofundar o conhecimento. A leitura deixou de ser algo prioritário. Para muitos, ler é uma perda de tempo.

Hoje em dia, os alunos já entram no ensino fundamental pensando em estudar ou decorar a matéria para aquele momento, para conseguir uma nota satisfatória. Não pensa em realmente aprender. Os estudantes não têm noção da importância da educação. Mas também não são levados a pensar diferente. “As pessoas estão acomodadas. Ainda há tempo, mas fica cada vez mais difícil. A mente gosta de desafios. À medida que não é usada, atrofia. Se faz o mínimo possível”, opina Paulo Cardoso, professor das disciplinas de Filosofia, Sociologia e Metodologia do campus Campo Mourão da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Fonte: https://www.tribunapr.com.br/noticias/mundo/habito-da-leitura-precisa-ser-resgatado/

Texto 2

Que o brasileiro lê pouco não é novidade alguma. O fato ganha um ar maior de decepção quando se lembra da riqueza da literatura nacional, tendo em Machado de Assis, Monteiro Lobato, Cecília Meirelles, Castro Alves, Tobias Barreto e Carlos Drummond de Andrade, por exemplo, os expoentes máximos da cultura das letras no país. Só estes nomes deveriam justificar um apreço maior pela literatura, no entanto, são poucos os que se dedicam à atividade por puro prazer.

O cenário já foi bem pior, é verdade. Dados do Sindicato Nacional dos Editores de Livros divulgados no início deste mês apontam que o índice de leitura no país aumentou 150% nos últimos dez anos. A média de 1,8 livro por ano atingiu 4,7. Os números ainda estão distantes dos países mais desenvolvidos, mas o consenso é de eles poderiam ser bem maiores se houvesse maior estímulo.

A conjuntura atual é favorável à leitura. A acessibilidade, o número de editoras, a diversificação de temas e o preço melhoraram significativamente. Os pocket books, ou livros de bolso, por exemplo, são menores, mais leves e baratos e vistos como a principal alternativa para a popularização do produto. Mas é nas obras voltadas ao público infanto-juvenil que reside a esperança do mercado editorial. Tanto que uma das maiores lojas de uma rede de livrarias da capital sergipana vai dobrar a área dedicada a esse tipo de obras.

Fonte: https://infonet.com.br/noticias/cultura/habito-da-leitura-e-prejudicado-por-falta-de-incentivo/

Texto 3

Fonte: http://3.bp.blogspot.com/_MTYU46laoHM/TB0OjbbWAnI/AAAAAAAABE8/ybqh3J3iKiA/s1600/mergulhe_de_cabeca_na_leitura.jpg

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema O problema da falta de incentivo à leitura na infância.

QUERO USAR ESSE TEMA!


Leia também:

Tema de redação: Os desafios da Educação Inclusiva no Brasil

Tema de Redação: A importância da música na educação infantil

Tema de Redação: Educação sexual e infância

Tema de redação: Crianças em situação de rua no Brasil

Tema de redação: A questão indígena e a educação

Comentários do Facebook