SOMENTE HOJE: 20% OFF usando o cupom PROMO20 em todos os planos!

Discriminação Racial: 5 lideranças negras para usar como repertório sociocultural na Redação do Enem

Discriminação Racial

🗓️ 3 de julho: Dia Nacional do Combate à Discriminação Racial

No dia 3 de julho, celebramos o Dia Nacional do Combate à Discriminação Racial no Brasil. Essa data é fundamental para refletirmos sobre a luta contra o racismo e a promoção da igualdade racial. Neste post, apresentaremos cinco lideranças negras brasileiras cujas histórias e contribuições são essenciais para enriquecer sua redação do ENEM. Nesse sentido, conheça Djamila Ribeiro, Zumbi de Palmares, Sueli Carneiro, Conceição Evaristo e Milton Santos.

Esses pensadores e ativistas são referências importantes e podem ser utilizados como repertório sociocultural em temas relacionados à discriminação racial na redação do Enem:

Filósofa e escritora, Djamila Ribeiro é uma das vozes mais influentes na luta contra o racismo e pela igualdade de gênero no Brasil. Nesse sentido, autora de livros como “Pequeno Manual Antirracista”, suas obras são uma excelente referência para discutir temas relacionados à discriminação racial e aos direitos das mulheres negras.

Líder do Quilombo dos Palmares, Zumbi é símbolo de resistência e luta pela liberdade dos negros escravizados no Brasil colonial. Ademais, sua história de luta inspira a continuidade da batalha contra a discriminação racial até os dias de hoje, sendo uma figura histórica essencial para enriquecer sua argumentação.

Sueli Carneiro
Reprodução internet

Ativista e filósofa, Sueli Carneiro é uma das fundadoras do Geledés – Instituto da Mulher Negra. Seu trabalho é fundamental na promoção dos direitos das mulheres negras e no combate ao racismo. Além disso, Sueli Carneiro oferece um vasto repertório de argumentos para discutir desigualdade racial e de gênero.

Conceição Evaristo
Reprodução internet

Escritora e professora, Conceição Evaristo aborda em suas obras as questões de gênero, raça e classe. Por isso, Seu livro “Ponciá Vicêncio” é uma referência importante na literatura afro-brasileira.

Milton Santos
Reprodução internet

Milton Santos, geógrafo e intelectual, contribui significativamente para o pensamento geográfico e analisa criticamente as questões sociais e econômicas no Brasil e no mundo. Seus estudos e teorias são fundamentais para entender as dinâmicas de exclusão e inclusão sociais, oferecendo um olhar crítico para a redação.

Comemoramos o Dia Nacional do Combate à Discriminação Racial no Brasil em 3 de julho. Instituímos essa data para promover a reflexão e conscientização sobre o racismo e incentivar ações que visem à igualdade racial.

O Dia Internacional Contra a Discriminação Racial, celebrado em 21 de março, foi estabelecido pela ONU em memória ao massacre de Sharpeville, ocorrido na África do Sul em 1960. A data busca sensibilizar a população mundial sobre a importância de combater o racismo e promover a igualdade de direitos.

O Dia Nacional do Combate à Discriminação Racial foi criado para lembrar a luta contra o racismo e promover a igualdade racial. A data reforça a necessidade de combater práticas discriminatórias e valorizar a diversidade étnica e cultural do Brasil.

Discriminação racial é qualquer ação ou comportamento que, de forma direta ou indireta, cause distinção, exclusão, restrição ou preferência com base em raça, cor, descendência ou origem nacional ou étnica. Isso resulta em anulação ou limitação dos direitos humanos e liberdades fundamentais.

Discriminação racial em um texto refere-se à abordagem crítica de práticas e comportamentos que resultam na marginalização de pessoas com base em suas características raciais. Textos sobre discriminação racial discutem as causas, consequências e possíveis soluções para eliminar o racismo.

Discriminação Racial: alunos nota mil
Segundo a filósofa Djamila Ribeiro, a falta de reconhecimento das interseccionalidades agrava a marginalização das comunidades negras. Com efeito, na sociedade contemporânea brasileira, é visto isso pela discriminação racial, principalmente em pessoas vindas de comunidades de vulnerabilidade social. Nesse sentido, isso ocorre tanto pelo legado histórico, quanto pela negligência governamental. Desse modo, é preciso medidas para diminuir esse problema.
Enem 2024: Discriminação Racial

Agora que você conhece cinco lideranças negras brasileiras e suas contribuições para o combate à discriminação racial, pode usar esses exemplos para enriquecer sua redação do ENEM em nossa plataforma. Esses líderes oferecem um repertório valioso para discussões sobre igualdade racial e social.

POSTS RELACIONADOS