Achou que a gente ia começar do começo? Achou errado, aluno! Vamos começar de antes do começo: do planejamento.

redacao-online-enem

Lembra que a gente já te disse que gente organizada não se desespera? Se ainda não internalizou esse mantra, tá na hora de internalizar, pois, acreditem, ele vale também para a produção da sua redação.

Tá chocado?

Não fique, vamos explicar isso aí direitinho.

É bem comum a gente ouvir os alunos dizerem que não sabem por onde começar o processo de escrita de uma redação. Aí, bate aquela angústia e a pessoa sua frio diante daquela folha em branco. Para que você não passe por isso, a gente vai fazer agora um passo a passo lindinho de tudo que envolve a produção de um texto, pois, ao contrário do que muita gente pensa, não se deve simplesmente ler a proposta de redação, baixar a cabeça, no melhor estilo Chico Xavier, e começar a escrever. Então, de início, vamos combinar uma coisa: não subestime o planejamento de um texto, pois ele é mais importante do que você imagina, ok? Eu que to dizendo.

Se liga aí:

Leia a proposta com muita calma. Muita. Muita. Muita. Sublinhe ou circule palavras-chaves nela, pois isso vai te ajudar a não dar aquela viajada básica no tema. Quer um exemplo? No último ENEM, teve uma galera que, na redação, falou apenas sobre a surdez ou sobre deficientes de um modo geral. Se os amiguinhos tivessem destacado palavras como “desafios” e “surdos” (o tema era “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”), por exemplo, a chance de tangenciar o tema teria sido bem menor. E, ó, para você que vai fazer o Exame Nacional do ensino Médio: SEMPRE tem uma palavrinha norteadora na proposta que o INEP faz. Não foi só no ano passado, não. Dá uma pesquisada nos temas anteriores e repara.

2. Você se preparou o ano inteiro, fez a lição de casa direitinho e, como a gente indicou , estudou bastante coisa para ampliar seu repertório sociocultural. Então, ao ler a proposta, sua cabeça vai ferver com tantas ideias e, acredita, tá tudo bem. Sabe o você faz? Deixa fluir e anota, com palavras-chaves, tudo o que vier em mente. Tudinho. Todos os argumentos maravilhosos que sua cabecinha conseguir construir.

3. Depois de respeitar o seu fluxo de ideias, chegou a hora de construir o que carinhosamente chamamos de “esqueleto” da sua redação. Tá, vamos dar uma nome mais técnico e chamar de “planejamento”. Sabe o que é isso? Nada mais é do que, em tópicos, anotar palavras-chaves do que você vai escrever em cada parte do seu texto – introdução, desenvolvimento 1, desenvolvimento 2, desenvolvimento 3 (se houver) e conclusão. (E se você ainda tem dúvida sobre a função de cada uma delas, fica ligadão aqui no nosso blog porque, nas cenas dos próximos capítulos, falaremos sobre isso). Pra te ajudar ainda, vamos te dar um roteiro com perguntinhas básicas. Segue ele que é só sucesso:

Qual é o tema e o que eu penso sobre ele? (Introdução: contextualização do tema + tese)
Por que eu penso dessa forma? (Desenvolvimento: dois ou três bons argumentos que sustentem a tese)
Diante da minha tese, o que fazer para solucionar o problema? (Conclusão: retomada da tese + soluções (mais aprofundadas, caso seja ENEM).

Lindo, né?

Pra ficar ainda mais legal, vamos a um exemplo prático:

Suponha que o tema é “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”, do ENEM de 2016. Aí, bem espertinho que é, você começa a montar seu planejamento:

Introdução: você sabe que é bacaninha usar diversas áreas de conhecimento na sua redação, então, optou por introdução histórica e vai dizer que a intolerância religiosa no Brasil começou logo no descobrimento, quando portugueses impuseram o catolicismo aos índios. No seu esqueletinho, vai anotar “descobrimento” e “catolicismo”, por exemplo.
Você acredita que o combate à intolerância religiosa ainda persiste por dois motivos: o racismo e laicidade de um Estado que não é tão laico assim. Anota, então: tese “racismo + Estado laico”.

Desenvolvimento 1: as religiões de matriz africana são as mais atingidas pelo preconceito (os textos motivadores, inclusive, diziam isso!), então, para não deixar a ideia escapar, anota “racismo” e “religiões de matriz africana” no seu planejamento.

redacao-online-enem

Desenvolvimento 2: você leu muito sobre atualidades e sabe que a discussão sobre a laicidade do Estado é importantíssima, então, por isso, escolheu esse lindo argumento. Anota “laicidade” e, de quebra”, já anota algo que vai te ajudar a se aprofundar na discussão, como “ensino religiosa voltado pro catolicismo”, por exemplo.

Conclusão: pra fechar com chave de ouro, você vai pensar em soluções para o combate à inteligência religiosa. Como você falou sobre o racismo e contestou a laicidade do Estado, anota: “endurecer o combate ao racismo” e “ensino religioso diverso”.

Deu, seu texto tá planejado e, agora sim, você vai começar a desenvolvê-lo, retomando aquelas anotações que você fez quando deixou o seu fluxo de ideias livre, leve e solto.
“Aaain, mas isso toma muito tempo”. Não, baby, não se despere. Não vamos negar que, nas primeiras vezes que você fizer isso, pode sim demorar um pouquinho mais. Então, por isso existe esta coisinha linda e importante chamada “treino”. A partir de agora, crie o hábito de planejar todos os textos que você nos enviar e, quando chegar na hora H, isso já será uma prática simples e não tomará muito do seu tempo.
Além disso, pra finalizar, a gente não pode deixar de te falar uma coisa: texto com planejamento fica, consequentemente, MUITO mais organizado! Exemplo: não é legal desenvolver mais um argumento por parágrafo, e isso acontece muito quando você baixa a cabeça e, sem planejar, começar a argumentar. Sabem que isso, no caso do ENEM, faz com a nota da competência 3 não seja tão boa, né? Pois é, é nela que se avalia o que chamamos de “projeto de texto”. Se não sabia, tá sabendo agora. E agora que sabe, vai ser um bom menino e uma boa menina e começar a planejar todas as redações antes de escrevê-las.
Começa logo porque estamos ansiosos para corrigir textos lindamente organizados!

QUERO APRENDER REDAÇÃO!

Comentários do Facebook