Movimentos literários: quais são e como usá-los nas redações?

por | fev 25, 2022

Os movimentos literários são um tema recorrente em vestibulares por todo o Brasil, inclusive no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Cada um desses períodos possuem suas características próprias e tiveram grande impacto nas produções que vemos até os dias de hoje. Por isso, é indispensável que esse conteúdo esteja bem fixado por quem irá realizar a prova.

As peculiaridades de alguns movimentos também nos permitem entender um pouco sobre o contexto histórico-cultural ao qual ele estava inserido. Ou seja, quando a arte não imita a vida, ela tenta recriá-la de uma forma melhor.

O blog da Redação Online preparou um resumo de cada um desses movimentos para que saiba as principais informações na hora da prova e garanta uma boa nota. Assim, poderá escolher entre uma maior variedade de opções seu curso e em qual faculdade quer entrar. Esse conteúdo é válido mesmo para quem busca estudar no exterior, temos um post completo sobre como usar sua nota do ENEM para fazer faculdade fora do país, não deixe de conferir!

Conheça os movimentos literários que mais caem em prova!

Em geral, as provas de vestibulares separam as áreas de conhecimento entre Linguagem, Conhecimentos Gerais e Específico. No ENEM funciona um pouco diferente, existem as Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Matemática, e Linguagem e Códigos. Independente do caso, os conteúdos de Literatura são cobrados de forma parecida: revisitando os períodos literários e suas características, bem como algumas obras especificadas em cada edital.

Por isso, vamos agora a lista dos movimentos que mais aparecem nas provas para depois falar como usá0los em sua redação!

Confira também o post “10 alusões literárias para você usar nas redações” e saiba como unir os conhecimentos de Literatura à sua escrita!

1. Trovadorismo

Esse estilo se caracteriza por ser poesias musicadas, compostas pelos Trovadores e apresentada tanto para realeza quanto para os servos. Existiam diferentes categorias de trovas e essa divisão quase sempre é cobrada nas provas. Podemos classificar esses poemas como:

  1. Líricos: inclui as cantigas de amigo (que possuíam um eu-lírico feminino, mesmo que cantadas por homens) e, mais populares, as cantigas de amor (confissões sobre amor não correspondido para mulheres da nobreza);
  2. Satíricos: que se refere as cantigas de escárnio (sátiras e provocações de duplo sentido sem ser tão explícitas) e cantigas de maldizer (mais diretas e citavam nomes na maioria das vezes).

Período de destaque: 1189 até 1418.
Onde surgiu: Na região que atualmente reconhecemos como França, Espanha e Itália. Naquela época, esse local era chamado de Occitânia.
Principais autores: João Zorro, Afonso Sanches, Dom Dinis I de Portugal e Paio Soares de Taveirós (Portugal).

2. Humanismo

O começo da literatura em prosa, produção de crônicas que valorizam as características humanas. Se afasta das características da Idade Média que o centro das produções é Deus, e começa a se voltar para o homem. Racionalismo e ascensão da ciência.

Período de destaque: 1418 até 1527.
Onde surgiu: Itália, por ser o berço do Renascimento que influenciou o surgimento desse movimento.
Principais autores: Fernão Lopes e Gil Vicente (no teatro).

3. Quinhentismo

O primeiro movimento literário do Brasil, que tem ligação com a chegada dos portugueses em nossas terras. Apesar do país ser a pauta principal, os escritos desse gênero falam sobre os navegantes que chegaram aqui. Possui como característica principal a descrição de viagens, da paisagem e relatos dos jesuítas.

Período de destaque: 1500-1601.
Onde surgiu: Brasil, mas era consumido na Europa.
Principais autores: Pero Vaz de Caminha (Carta a el-Rei Dom Manoel, 1500), Padre José de Anchieta (Arte de gramática da língua mais usada na costa do Brasil, 1595), Padre Manuel da Nóbrega (Tratado contra a Antropofagia, 1559) e Pero de Magalhães Gândavo (Tratado da Terra do Brasil, 1576).

4. Classicismo

Uma das consequências do Renascimento, movimento artístico-cultural nascido na Itália. Aparece com o surgimento da Idade Moderna, finalizando de vez com o Período Medieval. Sua característica principal é a retomada dos ideais greco-romanos: o hedonismo (busca pelos prazeres), equilíbrio e do ideal de beleza tão procurado na Antiguidade Clássica.

Sua obra principal é Os Lusíadas, um poema com mais de 1000 estrofes feito por Camões que retrata a viagem de Vasco da Gama até as Índias. Esse período é marcado por poemas com métricas regulares.

Período de destaque: 1527 até 1580.
Onde surgiu: Europa, não se tem ao certo um local de surgimento, mas foi uma continuação da predominância do Humanismo.
Principais autores: Luiz Vaz de Camões (Os Lusíadas, 1572) e Dante Alighieri (A divina comédia, 1555).

5. Barroco

Após tanta valorização dos ideias renascentistas, o Barroco surge retratando o homem em conflito. Racionalismo contra fé, homem contra Deus, bem contra o mal. A Igreja Católica começa ganhar força novamente, portanto muitos dos escritos desse movimento são sermões de missas. Como seus opositores, temos poesias satíricas contra a religião e poemas eróticos.

Período de destaque: 1601-1768.
Onde surgiu: Itália, logo se espalhando pela Europa. Esteve presente também em toda a América Latina, incluindo o Brasil.
Principais autores: Gregório de Mattos (chamado também de Boca do Inferno, é o representante do lado apegado ao prazer) e Padre Antônio Vieira (Sermão da Sexagésima, 1655).

6. Arcadismo (Neoclassicismo)

Acompanha a ascensão da Revolução Industrial e da agitação da cidade. O eu-lírico se distancia dessa realidade e oferece um contraponto a essas tecnologias ao exaltar a natureza. Muito comum poemas onde o personagem está no campo, em cenários bucólicos, sendo um pastor de ovelhas. Carpe diem (aproveite o momento) é seu principal conceito.

Quebra com o conflito interno do Barroco e volta olha para o homem, com ideais iluministas.

Período de destaque: 1768 até 1836.
Onde surgiu: No continente europeu, mas alcançou o mercado brasileiro também.
Principais autores: No Brasil, Cláudio Manoel da Costa (Obras, 1768) e Tomás Antônio Gonzaga (Marília de Dirceu, 1792). Na Europa, o português Antônio Dinis da Cruz e Silva.

7. Romantismo

Esse movimento literário quebra com a formalidade da poesia, apesar de manter a estrutura de versos. O que isso quer dizer é que os poemas românticos nem sempre possuem rimas. Também existe prosa nesse período. Em texto corrido ou em estrofes, os temas sempre possuem um pessimismo ligado ao amor platônico, intensidade e fuga da realidade. Os eu-líricos idealizam mulheres que amam, mas se mantém egocêntricos.

No Brasil foi divido em três fases:

  1. Geração indianista: os indígenas são elevados a heróis da formação do país, escritas são como mitos do surgimento do Brasil;
  2. Geração ultrarromântica: o nível extremo do sentimentalismo, uma fixação com a morte, representação de mulheres cadavéricas e um egocentrismo exagerado;
  3. Geração nacionalista: fala sobre questões sociais, se baseia nos sentimentos de indignação do dia a dia. A idealização amorosa diminui, se tornando algo mais palpável.

Período de destaque: 1836 até 1881.
Onde surgiu: primeiros indícios na Europa do século XVIII, mas no século XIX que se consolidou e veio para o Brasil.
Principais autores: Na primeira geração, José de Alencar (O Guarani, 1857; Senhora, 1875; e Iracema, 1865). Na segunda, Álvares de Azevedo (Macário, 1852; Noite na taverna, 1855; e Lira dos vinte anos, 1853).

Conheça 5 livros brasileiros que podem ser usados em suas redações, entre eles está uma obra romântica que vale muito a pena conferir!

8. Realismo

Volta do olhar ao realismo, contrapondo o movimento romântico que vivia no mundo ideal. Esses são textos mais centrados, objetivos e distantes dos sentimentos. Falam do cotidiano, das questões sociais e fazem críticas direta à burguesia. No Brasil, questiona muito a pobreza extrema da população.

Período de destaque: 1857 até 1922.
Onde surgiu: França.
Principais autores: Machado de Assis (Memórias Póstumas de Brás Cubas, 1881) e Eça de Queirós (O Primo Basílio, 1878).

9. Naturalismo

Tem grande influência da ciência, principalmente de Charles Darwin e Auguste Comte. Sua característica principal são romances onde os humanos têm seu comportamento totalmente influenciado pelo local onde estão inseridos. Debate miséria, política, violência e sexualidade, tudo sob um olha científica que analisa isso como apenas fenômenos sociais.

Período de destaque: 1881 até 1922.
Onde surgiu: Europa mas rapidamente veio para o Brasil.
Principais Autores: o brasileiro Aluísio de Azevedo (O Cortiço, 1890).

10. Parnasianismo

Contemporâneo ao Realismo, esse movimento teve mais poesias do que o anterior. É caracterizado por também ser uma resposta ao exagero romântico, mas com outro método de mostrar essa mudança. Tem temáticas sem nenhum compromisso com questões sociais; diferente do que víamos em outros movimentos literários, eles faziam arte pela arte e utilizavam uma linguagem extremamente rebuscada para demonstrar seus sentimentos – mesmo que esses fossem brandos.

Período de destaque: 1882 até 1922.
Onde surgiu: Na França e chegou no Brasil antes da virada do século.
Principais autores: Raimundo Correia (Versos e Versões, 1887)

11. Modernismo

Uma clara consequência da Revolução Industrial, o Modernismo critica a desigualdade causada por essa mudança socioeconômica. Faz relatos do cotidiano, fala sobre a seca, pobreza extrema e questões de gênero. Ocorreu o Pré-Modernismo que deu início ao estilo, mas que não é uma escola literária unificada e, portanto, não faz parte da lista de movimentos literários.

O modernismo foi também dividido em três gerações no Brasil:

  1. De 1922 até 1930: tenta se distanciar o máximo do Parnasianismo e possui poemas ironizando esse movimento, como Os Sapos escrito por Manuel Bandeira;
  2. De 1930 até 1945: o movimento começa a se consolidar e tomar uma forma mais coesa, trabalhando temas sociais com um tom mais agressivo e explícito;
  3. De 1945 até 1960: rompe a unidade novamente, sendo influenciado por diversas vertentes e se focando mais no cotidiano.

Período de destaque: 1922 até 1960.
Onde: Tanto na Europa quanto no Brasil, mas o grande marco é a Semana de Arte Moderna de 22 que ocorreu em São Paulo.
Principais autores: Manuel Bandeira e Fernando Pessoa (com seus três pseudônimos) representam a primeira geração. A segunda, tem Carlos Drummond de Andrade e Vinícius de Moraes. A terceira conta com sua grande representante, Clarice Lispector.

Como utilizar os movimentos literários nas redações?

Um dos critérios avaliativos na redação é o uso de repertórios socioculturais. Isso acontece quando utilizamos conhecimentos exteriores aos de sala de aula para exemplificar, argumentar ou enriquecer de alguma forma nosso texto. Ter conhecimento desses movimentos literários aumenta ainda mais seus recursos para falar durante a escrita da prova.

Como falamos no começo, esses poemas e prosas têm forte ligação com sua sociedade e servem para fazer denúncias, falar sobre o cotidiano ou questionar práticas de uma época. Muitos dos temas usados pelos autores podem ser conectados aos assuntos da redação de vestibulares.

Por exemplo, ao falar de abandono de crianças ou menores em situação de rua, Capitães de Areia do modernista Jorge Amado pode ser citado. Ou se o enunciado tratar da forma fantasiosa e desrespeitosa do tratamento aos indígenas nos dias de hoje, podemos voltar no Romantismo quando José de Alencar transforma os povos originários em personagens quase folclóricos – o que os apaga como cidadãos.

Aprenda a fazer citações da maneira certa com o post “Citação: Um guia definitivo! O que é? Como Fazer? Saiba mais

A grande sacada que qualquer aluno precisa ter é que os conhecimentos adquiridos para uma matéria podem ser conectados a outra, isso acontece bastante entre Literatura e Redação. Busque os livros indicados pelos vestibulares, conheça as críticas feitas e as transforme em uma ferramenta para mostrar conhecimento sobre o assunto no seu texto.

Esse foi nosso resumão sobre movimentos literários e como utilizá-los na redação. Use essas informações para criar suas relações próprias e mostre originalidade e poder de argumentação durante seu vestibular, ou no ENEM.

Conheça também 5 vertentes filosóficas para usar na redação!

Muito além dos movimentos literários, nosso blog possui outras diversas dicas para ajudar estudantes a alcançarem notas maiores na redação, não deixe de conferir outros posts para aprender mais! Até a próxima!

Assine um plano do Redação Online
Como fazer uma Redação do zero
Guia da Redação ENEM: tudo o que você precisa saber
Como tirar nota mil na Redação ENEM