Olá, pessoal!

Aqui vai uma pergunta capciosa: você sabe usar as conjunções? Da maneira correta? Contribuindo pra um texto redondo, assertivo, organizado e esteticamente interessante?

Sim ou não?

Pelo sim ou pelo não, vamos começar do começo. 😉 Confira nesse texto mais uma das nossas dicas para redação do Enem.

redação

1. O que é uma conjunção?

Pelo significado da palavra em si, dá pra perceber que conjunção tem alguma coisa a ver com ligação, união, junção e toda a horda de sinônimos.
Uma conjunção não varia em gênero ou número e tem como função, dentro de uma frase, ligar orações de mesmo valor gramatical, como termos ou as orações em si. Não entendeu bulhufas? Toma exemplo:

Exemplo de conjunção ligando termos iguais (os termos estão em itálico e a conjunção está em negrito):

Você não gosta de Doritos de queijo Nacho e de guacamole.

Exemplo de conjunção ligando orações em si (as orações estão em itálico e a conjunção está em negrito):

Tirei 400 na redação e chorei muito.

2. Quais são as conjunções?

Estas queridas são classificadas em dois tipos: coordenativas e subordinadas.

Tá lendo essas palavras compridinhas e tendo arrepios na espinha lembrando do ensino médio?

Pois é, chuchu.

As conjunções são essenciais para a construção de uma boa redação, já que dentro delas moram grande parte dos preciosos conectivos (dizemos “grande parte” porque são advérbios e pronomes).

Entender sua função e funcionamento é, talvez, o que você está precisando pra tirar, de vez, 200 na competência 4 da redação do Enem.

Não sabe que competência é essa? Vixe. Clica aqui.

Vamos, enfim, às conjunções:

a) Coordenativas

Tem a função de ligar duas orações independentes. Essas estão organizadas em cinco tipos (todas com nome autoexplicativo, o que não significa que não vamos explicar pra você):

1. Aditivas – expressam soma, adição.
Conjunções: não só… mas também, nem, bem como, não só… como também .

Ex.: Ele não só é lindo como também engraçado.

2. Adversativas – expressam oposição, adversidades.
Conjunções: no entanto, todavia, não obstante, mas, porém, contudo, entretanto,

Ex.: Não foram hexa, todavia deixaram o Brasil todo orgulhoso com seu desempenho.

Não era ator, contudo caía com a destreza de um gato.

3. Alternativas – simbolizam escolha de pensamentos
Conjunções: ou, ou… ou, ora… ora, já… já, quer… quer, seja… seja.

Ex.: Ou você vai ou você fica.

Ele faz um drama gigante, seja por dinheiro seja por amor.

4. Conclusivas – exprimem conclusão de pensamento.
Conjunções: logo, portanto, por isso, pois, por conseguinte, assim.

Ex.: Chorei bastante, portanto consegui um bom desconto.

Não precisamos nem dizer que as conjunções coordenadas conclusivas são essenciais na sua conclusão, certo?

5. Explicativas – exprimem razão e motivo.
Conjunções: que, porque, pois, porquanto, por conseguinte, assim.

Ex.: Coma vegetais, porque é importante!

b) Subordinativas

As conjunções subordinativas têm a função de ligar duas orações que são subordinadas uma à outra, ou seja, que dependem uma da outra para expressar uma ideia completa. Destas, há dez tipos:

1. Integrantes
Servem como a introdução de uma oração que vai completar o sentido da outra.
Conjunções: que, se.

Ex.: Quero que você compre um x-bacon agora pra mim.

2. Causais – introduzem orações que dão ideia de causa.
Conjunções: que, porque, como, pois que, visto que, uma vez que, porquanto, já que, desde que.

Ex.: Como fingi que estava doente, não pude ir à aula.

3. Comparativas – introduzem orações que dão ideia de comparação
Conjunções: como, qual, que, do que (depois de mais, menos, maior, menor, melhor e pior).

Ex.: Eu sempre fui melhor que você!

4. Concessivas – iniciam orações que indicam contradição.
Conjunções: embora, ainda que, mesmo que, se bem que, posto que, por mais que, apesar de que.

Ex.: Vou à praia, embora esteja chovendo.

5. Condicionais – dão início a orações que denotam hipóteses ou condições.
Conjunções: se, caso, a menos que, contanto que, salvo se, desde que, a não ser que.

Ex.: A menos que eu não queria, estarei lá amanhã.

Eu te amarei, contanto que você se comporte.

6. Conformativas – iniciam orações que expressam acordo, resolução.
Conjunções: como, conforme, segundo, consoante.

Ex.: Cada um enriquece conforme trabalha

QUERO MELHORAR MINHA ESCRITA!

As conjunções subordinadas conformativas são interessantes para fazer citações.

7. Consecutivas – dão o início de orações que indicam uma consequência ou um ato que é consequência de outro.

Conjunções: que (precedido de tal, tanto, tão ou tamanho), de modo que, de forma que, de sorte que.

Ex.: Ela esperneou tanto que conseguiu o que queria. 

8. Temporais – iniciam orações que dão sensação de tempo.
Conjunções: quando, mal, assim que, logo que, antes que, depois que, sempre que, desde que.

Ex.: Fomos assim que deu vontade.

9. Finais – iniciam orações que exprimem finalidade.
Conjunções: porque, a fim de que, para que.

Ex.: Pelo amor de deus, sentem logo para que eu possa ver a Beyoncé.

10. Proporcionais – iniciam orações que exprimem concomitância, sequência, sincronia.
Conjunções: à medida que, à proporção que, ao passo que, quanto menos, quanto menor, quanto maior, quanto melhor.

Ex.: À medida que eu cresço, eu vejo a besteira que fiz.

Agora que te mostramos a quantidade de conjunções existentes, quero ver muitos usos conscientes no seu texto, pra que ele fique fluido como água. Deixamos aqui uma tabelinha com todas as conjunções apresentadas acima. Assim, seu repertório de conectivos ficará riquíssimo!

De bônus, aqui vai um vídeo da nossa querida Professora Josi sobre a competência 4 – mais uma das nossas dicas para redação do Enem.

Caso precise de ajuda, fala com a gente! Somos bacanas e corrigimos redação!

Muitas boas energias pra competência 4 e fé no pai que o 200 sai :*

QUERO APRENDER REDAÇÃO!

Comentários do Facebook