Talvez o termo brainstorming não seja tão comum a você, mas com certeza você já viveu o que ele representa: uma tempestade de ideias passando ao mesmo tempo por sua mente.

A palavra inglesa brainstorming significa, ao pé da letra, exatamente tempestade do cérebro e batiza a técnica criada pelo publicitário americano Alex Osborn (1888-1966).

Inicialmente, a técnica criada por Osborn tinha objetivos bastante centrados no ambiente corporativo. Esperava-se que, por meio de uma sessão de brainstorming, sugestões criativas ou soluções de problemas surgissem.

Idealmente, o brainstorming foi pensado para ser realizado em grupo, fortalecendo a clássica ideia de que duas cabeças (ou mais) pensam melhor do que uma. Mais tarde, percebeu-se que a técnica do brainstorming poderia ser útil tanto para outros segmentos que não apenas ao corporativo quanto individualmente.

Você já sabe que, ao planejarmos uma redação, milhares de ideias surgem em nossa mente e o brainstorming pode te ajudar exatamente a ter ideias melhores, mais aprofundadas, bem como a selecioná-las e organizá-las.

Como estamos tratando de uma técnica, existe um passo a passo considerado frequente e que é o que normalmente funciona melhor para grande parte das pessoas. Vamos te contar esse passo a passo na sequência, mas lembre-se de respeitar sempre aquilo que funciona para você.

Como aplicar o brainstorming à redação?

1- Tenha um bom repertório

Já te contamos que o objetivo central do brainstorming é trazer à mente boas ideias ou soluções eficientes a um problema, mas isso só pode acontecer se as ideias e soluções tiverem de onde sair, afinal, pensamentos brilhantes não caem do céu (pelo menos não na maioria das vezes).

Quanto mais você se informar, ler, ouvir e aprender, mais fácil será ter ideias úteis para a construção de sua redação. Pense nas informações sempre como sementinhas que vão crescendo à medida que você se aprofunda nelas.

2- Acostume-se a opinar sobre tudo

Se a prática leva à perfeição e se a redação de testes de grande porte, como a do ENEM e vestibulares, exigem a defesa de um ponto de vista e a solução de problemas, o ideal é que você se acostume a desenvolver uma opinião a respeito de assuntos variados.

Viu uma nova medida política? Formule seu ponto de vista sobre ela. Leu que um projeto de lei foi aprovado? Pense nele e o avalie com cuidado. Assistiu a um documentário sobre pessoas refugiadas no Brasil? Crie soluções hipotéticas (mas executáveis) para essa questão.

3- Leia, leia, leia novamente, quantas vezes forem necessárias

Agora é a hora de começar a colocar a mão na massa e o primeiro passo para um brainstorming eficiente é uma leitura, interpretação e compreensão de qualidade da proposta de redação.

Ainda que você tenha certeza de que compreendeu na íntegra a proposta textual, releia-a mais de uma vez, grife pontos que te parecerem mais relevantes, busque novas informações e repare em detalhes mais aprofundados em cada nova releitura.

Não se esqueça de checar também as fontes dos textos motivadores e as possíveis referências de agências, instituições e especialistas presentes nas produções selecionadas. Elas te acrescentam vários dados relevantes sobre o assunto.

O ponto inicial para qualquer brainstorming de qualidade é ter plena certeza acerca dos objetivos e do assunto a respeito do qual precisamos ter novas ideias ou soluções, por isso a leitura, interpretação e compreensão aprofundadas são tão importantes.

Bored Cabin Fever GIF

4- Anote suas ideias.

Após a compreensão do tema, muitas ideias e caminhos para a redação virão à sua mente. Anote aquelas que você achar mais relevantes.

Sabemos que no dia da prova do ENEM ou dos vestibulares acontece uma espécie de corrida contra o tempo e fazer rascunhos pode parecer perda de tempo, mas, acredite, não é.

Ter todas as melhores ideias anotadas é um excelente recurso para que você não se esqueça de nenhuma delas e ainda consiga “desocupar” espaço mental.

Quando anotamos algo, o esforço de nosso cérebro em torno de recordar daquela informação é diminuído e conseguimos focar nossa atenção em outra atividade.

5- Critique suas próprias ideias

Originalmente, numa sessão de brainstorming, todas os pensamentos que viessem à cabeça do participante deveria ser levada em consideração, sem nenhum critério ou filtro.

Entretanto, mais recentemente, notou-se que um tempo precioso era perdido em torno de sugestões totalmente descabidas, que, muitas vezes, nem mesmo se relacionavam ao assunto ou eram inexecutáveis, fantasiosas.

Por conta disso, a habilidade de criticar as próprias ideias tornou-se um passo fundamental para um brainstorming efetivo e, lógico, no caso de uma redação, para a elaboração de um texto bem articulado.

Durante seu período de treino, após o momento de anotação das melhores ideias que você teve acerca do assunto, reflita mais aprofundadamente em cada uma delas e tenha uma postura bastante crítica.

Justifique para você mesmo (a): Por que essa é uma de minhas melhores ideias? O que ela tem de bom, válido e consistente? Olhar para suas anotações dessa forma fará com que você tenha mais facilidade na hora da argumentação.

Nunca se esqueça de que as ideias contidas no texto (todas elas) precisam fazer sentido e serem convincentes para você em primeiro lugar. O nível de certeza do autor da redação influencia até mesmo na escolha de palavras que ele faz.

6- Não tenha apego emocional às ideias descartadas

Ao aplicar o passo acima, muitas pessoas acabam descartando ideias que pareciam excelentes à primeira vista, mas que simplesmente não passam pelo teste de uma análise aprofundada.

Caso isso ocorra, não fique apegado àquela ideia “que parecia tão boa”. Não insista em algo que não é coerente nem para você e nem perca esse tempo precioso.

And Then It Hit Me GIF by Red Fang

7- Aprofunde as ideias que passaram no teste

Após todas as etapas acima, certamente as melhores das melhores ideias ficaram como resultado do seu momento de brainstorming e agora é o momento de deixá-las ainda mais eficazes.

Procure outros dados, especialistas no assunto, fatos, citações, acontecimentos históricos que possam te ajudar a deixar esses melhores pensamentos mais aprofundados e embasados.

8- Organize as ideias numa ordem lógica

Ideias selecionadas, testadas e aprofundadas? Muito bem! Vamos nesta etapa organizá-las de forma que faça sentido numa produção textual do gênero dissertativo-argumentativo.

Quais das suas ideias representam um ponto de vista sobre o assunto e por isso ficariam melhores na introdução? Quais são justificativas, defesas da sua opinião e devem compor o desenvolvimento? E quais expressam soluções aos problemas e farão parte da conclusão?

Anote que ideia entrará em qual parte do texto. Para isso, você pode montar blocos para cada uma das partes ou usar um sistema de organização por cores ou símbolos.

Viu como existem técnicas para que você seja cada dia mais criativo (a) e consiga ter ideias que realmente vão te ajudar a construir um excelente texto?

O que você está esperando? Bora colocar essa cabeça para fabricar uma grande tempestade de ideias.

QUERO APRENDER REDAÇÃO!

Leia também:

Como fazer um resumo eficiente?

Como estudar redação para concursos?

10 erros que você NÃO DEVE cometer na redação do ENEM

Planejamento de Dissertação

A pontuação como aliada na construção de sentido

 

 

Comentários do Facebook