Não é fácil conciliar ansiedade e estudos, mas saiba que você pode aprender a manter a calma em situações de pressão. Por isso, vamos dar algumas dicas para enfrentar esses momentos e ficar de cabeça fria na hora de estudar!

Você tem sentido dores de cabeça e irritabilidade? Tem dificuldades para dormir e sente que sua memória não é mais a mesma? Faltando menos de 2 meses para o Enem, é normal que você esteja se sentindo mais ansioso(a). Algumas pessoas têm maior propensão à ansiedade, uma condição mental, mas que afeta também o corpo. No entanto, com a proximidade das provas, fica mais complicado para todo mundo lidar com ansiedade e estudos.

Neste ano, além de toda a tensão normalmente sentida em situações decisivas, tivemos uma dose extra de estresse: a pandemia. Um estudo noticiado no dia 10 deste mês, realizado pelo Instituto de Pesquisa sobre a Felicidade dinamarquês, mostrou que há 7 mil novos casos de ansiedade para cada 100 casos de Covid-19. Além disso, em outubro, a OMS alertou que a pandemia impactou de forma devastadora a saúde mental em escala mundial. Entre as situações que mais afetaram o bem-estar das pessoas está a solidão causada pelo distanciamento social. E como isso pode afetar a sua rotina de estudos?

Então, saiba que o sintoma comportamental mais comum da ansiedade é evitar as situações. Assim, se você sente uma angústia ao pensar que precisa estudar, há uma forte tendência a procrastinar e acabar desistindo da tarefa. Com o passar do tempo (e com as provas cada vez mais perto), é provável que a pessoa ansiosa “trave”, sinta-se paralisada pelo medo. Isso porque as expectativas criadas também são muito altas, gerando um ciclo que pessoa imagina não conseguir romper. Isso pode manifestar os seguintes sintomas físicos:

  • Aumento da frequência cardíaca
  • Tensão muscular aumentada (causando dores)
  • Dificuldade para respirar
  • Sentir como se tivesse uma opressão/aperto em toda a área do peito
  • Dores de cabeça tensionais
  • Agitação
  • Sensação de sufocamento
  • Taquicardia
  • Dificuldades para dormir

Como manter a calma para estudar?

A primeira coisa que se deve buscar é manter uma rotina. Mesmo que estejamos há quase 9 meses tendo que lidar com o tal “novo normal”, é importante que você trace um roteiro diário e tente segui-lo. Isso porque a falta de uma programação nos deixa perdidos diante de todos os estímulos que recebemos. Então, se você rende melhor pela manhã, acorde cedo e programe-se para estudar nesse período. Evite distrações nesse tempo que você determinou para os estudos.

Na quarentena a Técnica Pomodoro tem feito sucesso. Você já ouviu falar dela? Embora tenha surgido nos anos 1980, muita gente só conheceu agora. Isso porque a vida de todo mundo foi afetada, com aulas remotas e trabalho home office. Com todas as distrações que temos em casa, fica difícil mesmo ter foco, e isso pode ser um gatilho para quem sofre com ansiedade. A técnica pomodoro é um meio de gerenciamento do tempo para se tornar mais produtivo. Veja como utilizá-la:

técnica pomodoro para controlar ansiedade nos estudos

Fonte: https://twitter.com/bu_ufsc

Pratique meditação

Outra atividade que entrou na vida de muitas pessoas na quarentena foi a meditação. E são comprovados os efeitos positivos que ela causa em quem a pratica. Entre os diversos benefícios, está a redução da famigerada ansiedade. Além disso, ela pode reduzir outros sintomas que pessoas ansiosas apresentam, como dores crônicas, frequência cardíaca e pressão elevada, e ainda melhora o sono.

Assim, a equação ansiedade e estudos pode ser resolvida com alguns minutos por dia de respirações profundas e trazendo sua mente para o momento presente. Um dos grandes mitos que afastam as pessoas da meditação é achar que meditar é “parar de pensar”. Nada disso! A mente não para de pensar nunca! O que a meditação faz é aumentar a capacidade de concentração e memorização, desenvolvendo a criatividade e aumentando o equilíbrio emocional.

Hoje em dia é possível baixar aplicativos com meditações guiadas e há canais no Youtube que ensinam a prática desde o nível iniciante. Certamente vale a pena conhecer essa técnica e praticá-la diariamente, podendo ser usada para retomar o controle de si mesmo durante uma prova. Algumas respirações profundas e focadas por apenas 1 ou 5 minutos podem fazer milagres e dar mais clareza às suas ideias.

Durma bem

Noites mal dormidas fazem com que você não renda no dia seguinte. Se você habituou-se a estudar à noite, prefira fazer apenas revisão. Os estímulos cerebrais devem ser diminuídos cerca de 1h30 antes da hora que você pretende dormir. Ao acordar, é bem importante tentar não ceder ao vício de entrar nas redes sociais. Isso é outro fator que causa muita ansiedade. Assim, foque em levantar, fazer suas tarefas, deixando para se distrair somente depois de já ter cumprido suas metas do dia.

Evite bebidas estimulantes

Se você já está mais nervoso ou ansioso, é hora de diminuir essas sensações, e não de aumentá-las. Embora bebidas à base de cafeína sejam as preferidas dos vestibulandos, tente trocá-las por chás calmantes, como o de camomila, ou sucos, quem sabe de maracujá. Dessa forma você conseguirá descansar melhor, o que é fundamental para conseguir estudar de forma eficaz.

Pratique alguma atividade física

Ninguém precisa virar o Mister Universo, ainda mais em meio à pandemia e com as provas logo ali. Mas todo mundo deve (ou deveria) reservar ao menos 30 minutos diários para praticar alguma atividade física. Isso porque pesquisas já apontaram que exercícios físicos melhoram o desempenho nos estudos para o Enem. Entre os principais benefícios estão melhorias na memória, foco e resistência. Além disso, a prática de atividade física regular melhora a qualidade do sono. Como já dissemos aqui, uma boa noite de sono é essencial para quem está estudando e se preparando para as provas. Não se esqueça que é enquanto dormimos que a memória se consolida, portanto, é nesse momento que toda a carga de estudos do dia se “acomoda” no seu cérebro.

Equilíbrio é tudo, não é mesmo? Você precisa, sim, estudar bastante e treinar muito a redação, por exemplo. Porém, o corpo não é uma máquina. Dê a ele as doses necessárias de descanso e os combustíveis certos para que se mantenha funcionando a 100%. Se tiver a possibilidade, invista em terapia. Hoje ela pode ser feita on-line e a preços acessíveis. Cuide da sua saúde mental e física e chegue com tudo nas provas!

QUERO APRENDER REDAÇÃO!

propaganda redação online

Comentários do Facebook